São Paulo – Uma pesquisa realizada pelo Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa, vinculado ao Hospital Israelita Albert Einstein, revela que a administração do medicamento ​tofacitinibe reduz em 37% o risco de morte em pacientes hospitalizados por causa da covid-19.

O medicamento é indicado para o tratamento de artrite reumatoide, artrite psoriásica e retocolite ulcerativa.

O estudo desenvolvido pelo Einstein em parceria com a Pfizer, farmacêutica que produz o tofacitinibe, foi realizado em um grupo de 289 pacientes adultos internados em 15 centros de tratamento.

Os resultados demonstraram menor incidência de óbitos ou falência respiratória por causa do novo coronavírus entre pacientes que receberam o fármaco (18,1%) em comparação aos que receberam o placebo (29%). A pesquisa observou os participantes pelo período de 28 dias e administrou o tofacitinibe por via oral.

Considerado padrão-ouro (randomizado, duplo-cego e com grupo controle), o estudo foi publicado nessa quarta-feira (16) na revista médica The New England Journal of Medicine, uma das mais prestigiadas internacionalmente.

O médico e coordenador do estudo, Otavio Berwanger, afirma que o tofacitinibe foi administrado no segundo estágio da evolução da covid-19. Ele sucede a manifestação dos primeiros sintomas e ocorre quando o sistema imunológico começa a produzir uma resposta inflamatória exacerbada – é neste ponto em que órgãos como o pulmão e os rins são lesionados.