O Campeonato Brasileiro de Rali de Velocidade voltará a ter uma dupla feminina na disputa. A piloto de Santa Catarina Romina Romi vai ter a companhia da navegadora gaúcha Lucivane Balena. A parceria entre Florianópolis/SC e Erechim/RS vai estar na pista pela primeira vez, um desafio a mais para as duas competidoras.

“Significa muito para nós. É um orgulho poder representar as mulheres nesse esporte. Estou muito feliz por isso, pela parceria com a Lucivane… Competir como dupla feminina em um esporte onde a maioria são homens, é representativo”, destaca Romina.

“O automobilismo não é exclusivamente, mas predominantemente masculino. Eu venho competindo há alguns anos com outros competidores, mas esta será a primeira vez em uma dupla feminina. Acredito que é um fato que chama a atenção, justamente por haver poucas mulheres no esporte, mas, em se tratando de corrida, técnica, não acredito que interfira e, nesse sentido, minha expectativa é muito boa em conseguirmos representar bem a mulher no rali, buscando sempre nosso melhor rendimento, concentradas, para, quem sabe, beliscar um lugarzinho entre os primeiros competidores em nossa categoria”, acrescenta a navegadora.

Outro desafio para a dupla será competir em nível nacional, em uma corrida do Campeonato Brasileiro. “Não é a primeira vez, mas sempre é uma responsabilidade muito grande, um desafio importante. Estar no grid do nacional é motivo de orgulho para nós, para nossa equipe”, enfatiza Romina, que tem ainda no time ProRomi Motorsport, o pai, Julio, também como piloto com outro carro e formando outra dupla.

A programação do Rally Araucária começa na sexta (30), com os competidores fazendo o reconhecimento das especiais, e segue com corrida dupla, entre sábado e domingo. Será a volta de Araucária ao calendário nacional, sete anos após sua última realização.

 


Tibola em casa

Reny Tibola recebeu alta ontem pela manhã e agora se recupera em casa da covid-19. Ele seguirá as rígidas recomendações médicas por pelo menos 15 dias e volta a agitar o Kartódromo Delci Damian somente daqui a uns 20 dias ou mais. “Vou seguir à risca as recomendações médicas, com controle da temperatura, saturação e muito repouso”, diz o outrora agitado preparador cascavelense.


Lucas di Grassi

Uma estratégia pouco convencional foi adotada pela equipe Audi Sport na 13ª etapa do Campeonato Mundial de Fórmula E, domingo, nas ruas de Londres. Na 12ª volta, durante uma intervenção do safety car, o time chamou o brasileiro Lucas Di Grassi para passar pelo box e retornar rapidamente ao traçado, de forma que ele voltasse à pista na frente do pelotão. Lucas era o oitavo colocado e realmente voltou na liderança, mas, por seu carro não ter parado completamente na frente do box da equipe, o piloto foi excluído da prova. “Essa estratégia é permitida pelo regulamento. Poderia ter funcionado e já foi usada por outras equipes ao longo do campeonato. Mas, no nosso caso, aceitamos a decisão da FIA porque a manobra não funcionou 100%”, disse o chefe da equipe, o escocês Allan MacNish.