Que beijinho doce, foi ele quem trouxe…

Marieta Rodrigues Ferreira - Nascimento: 20/10/1945 - Falecimento: 15/08/2019

Natural de Guimarânia (MG), Marieta Rodrigues Ferreira trabalhava com metalúrgica e nunca pensou que um dia deixaria a pequena cidade onde passou a vida toda. Mas foi sua saúde quem lhe obrigou.

Em fevereiro de 2018, ela veio para Cascavel com a filha Andréa Cristiane Rodrigues para tratar do mal de Alzheimer.

Andréa e o irmão, Vinícius, contam que Marieta tinha como paixão ouvir e cantar músicas antigas. Sua preferida era “Beijinho Doce”, das Irmãs Galvão, eternizada na voz de diversos artistas como Tonico e Tinoco.

“Uma das minhas lembranças mais feliz com ela é de quando nós cantávamos juntas”, conta Andréa.

Vinícius lembra que a mãe tinha grande simpatia pelo próximo, e estava sempre sorrindo. “Eu me lembro dela rindo, porque ela amava sorrir, fazer amizades novas, gostava de piadas…”

Além da música, Marieta tinha outras duas paixões: “Ela comia banana sem parar e era fascinada por pamonha”.

Ela completaria 75 anos em outubro

Dedicação

Vinícius Rodrigues Ferreira conta que a mãe Marieta não chegou a estudar, mas que sempre teve força de vontade para aprender a assinar o nome. “Eu ia para a faculdade às 18h40 e chegava às 23h20 e, todos os dias, sem muitas exceções, ela estava treinando sua assinatura para não errar quando precisasse assinar algo”.

A partida

 

Marieta Rodrigues Ferreira descobriu o Alzheimer há cinco anos e desde então começou o tratamento para aliviar os sintomas. Mas no dia 15 de agosto uma surpresa mudaria sua família: ela foi teve um infarto fulminante. Marieta deixa os filhos Vinícius Rodrigues Ferreira e Andréa Cristiane Rodrigues e o neto José Eduardo Rodrigues Alves.



Fale com a Redação

4 × um =