O Ministério Público do Paraná expediu nessa quarta-feira (2) recomendação administrativa dirigida ao secretário estadual de Saúde, Beto Preto, para que sejam adotadas pelo órgão estadual medidas concretas e efetivas de coordenação, planejamento, organização e controle no combate à pandemia de covid-19 no Paraná. O documento, assinado pelas Promotorias de Justiça de Proteção à Saúde Pública de Curitiba, Cascavel, Londrina e Maringá, considera a competência estadual para tais iniciativas, prevista na legislação do SUS (Sistema Único de Saúde).

As Promotorias de Justiça pontuam que alguns municípios do Estado têm adotado diferentes medidas restritivas, citando algumas com lockdown, enquanto outras impõem uma série de limitações de funcionamento de serviços não essenciais. Tais iniciativas, entretanto, são “insuficientes no atual estágio da pandemia que nos assola, pois, não obstante meritórias – não guardam a mesma eficácia, não produzem os resultados qualitativos e quantitativos de prevenção e enfrentamento da covid-19 somente viabilizados através de atuação coordenada e articulada”, destacam.

Foi concedido prazo de cinco dias para que a Sesa demonstre as medidas adotadas para o cumprimento da recomendação. Também foi solicitado que, no mesmo prazo, o órgão estadual remeta ao Ministério Público os dados relacionados ao número de pessoas que, nos últimos seis meses, morreram enquanto aguardavam na fila de espera a disponibilização de leitos no Paraná.

Mais 161 mortes

A Secretaria de Estado da Saúde divulgou nessa quarta-feira (2) mais 4.288 casos e 161 mortes pela covid-19 no Paraná. Os dados acumulados do monitoramento da doença mostram que o Estado soma 1.097.100 diagnósticos confirmados e 26.641 óbitos.

O Estado tem 5.981 pessoas internadas (o maior de toda a pandemia), dos quais 2.429 em UTI.

Paraná separa 137 mil doses para começar a vacinar população em geral

O governo do Estado separou 137.353 doses (mais 10% da reserva técnica) da 22ª pauta de distribuição de vacinas contra a covid-19 do Ministério da Saúde para dar início à imunização da população em geral. O protocolo estabelecido pela Secretaria de Estado da Saúde determina que a aplicação seja escalonada de forma sucessiva e decrescente, iniciando na faixa etária de 59 e 58 anos. As doses serão encaminhadas ainda nesta semana para as 22 Regionais de Saúde do Paraná.

Além disso, o Estado vai começar a vacinar novas subdivisões dentro do grupo prioritário. Serão encaminhados aos municípios doses para comunidades ribeirinhas (10.000), trabalhadores do sistema prisional (4.109), população privada de liberdade (61.465) e trabalhadores da assistência social (10.000). A nova estratificação foi definida em consenso com o Cosems-PR (Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Paraná).

Os imunizantes que permitirão ampliar as faixas de proteção da população são da Covishield, desenvolvido em parceria pela Fiocruz/AstraZeneca/Oxford. A remessa com 360.250 doses chegou ao Paraná na manhã desta quarta-feira (2) e servirá também para dar continuidade ao processo de vacinação de pessoas com comorbidades e deficiência permanente grave; forças de segurança e salvamento; e trabalhadores da educação do ensino básico.

Já 22ª pauta do Ministério da Saúde será completada nesta quinta-feira (3) com a chegada a Curitiba de 37.440 vacinas da Comirnaty, da parceria Pfizer/BioNtech, totalizando 397.690 doses.

Outro ponto é que, para atender a necessidade de Foz do Iguaçu, devido ao fluxo de pessoas na Tríplice Fronteira (Brasil, Argentina e Paraguai), a Sesa aumentou em 3% as doses encaminhadas ao município, com destinação para a faixa etária de 59 e 58 anos da sua população.