Curitiba – O Brasil Mais, programa subsidiado pelo Senai no Paraná e pelo governo federal que tem como objetivo trazer melhorias rápidas, de baixo custo e alto impacto, está mudando o cenário de indústrias de todo o Estado. Até julho, 253 empresas passaram pelo programa e, em um estudo realizado pelo Senai, foi constatado um ganho médio de produtividade por mês nas indústrias da região de mais de R$ 1,6 milhão, sendo que o ganho anual projetado no supera R$ 19 milhões. As empresas que participaram do programa ganharam em produtividade, em média, R$ 6.300 por mês.

Para Fabrício Lopes, gerente executivo de Tecnologia e Inovação do Sistema Fiep, esses valores refletem uma melhor economia do Estado, melhor competitividade da indústria, que se traduz em mais empregos e em investimentos em inovação. “Nós criamos um círculo virtuoso, onde a indústria mais produtiva consegue economizar, tem uma margem melhor, paga melhor os seus funcionários, esses funcionários consomem mais na região, melhora o comércio, melhora o setor de serviços e consequentemente a indústria também vende mais”, esclarece.

A iniciativa foi criada em um ano de pandemia, quando a indústria precisou de produtividade e competitividade. “Quem depende de insumos importados perdeu muito a margem e, consequentemente, muitos empregos ficaram em risco e foram perdidos”, lembra Fabrício.

Com a iniciativa, o Senai no Paraná está alcançando no mínimo uma média de 20% de produtividade, com ações de intervenção consultivas de especialistas da instituição e em um formato de uma consultoria muito rápida e transferindo competência para a indústria. “Desta forma, a indústria é capaz de manter essa alta produtividade mesmo depois que o Senai termina o processo consultivo em 64 horas. É uma oportunidade única para indústrias do Paraná e do Brasil, já que é um programa com baixíssimo investimento, com retorno rápido – em dois meses, e fácil de acompanhar o ganho de produtividade e o dinheiro no bolso do empresário e dos seus funcionários no fim do mês”.

 

Sobre o programa

A iniciativa oferece às indústrias participantes a oportunidade de obter um aumento de produtividade na linha de produção, por meio de técnicas de produção enxuta. Neste ano, as indústrias associadas aos sindicatos filiados ao Sistema Fiep contarão com maior subsídio para participar do programa, o que reduzirá o custo do investimento pela metade. Por meio do programa, governo federal e Senai subsidiam 80% do valor e a empresa arca apenas com 20%, o equivalente a R$ 2.400. Já as indústrias associadas aos sindicatos filiados ao Sistema Fiep, R$ 950.

O programa atende indústrias de diversos segmentos, que podem indicar até três colaboradores para participar dos treinamentos, que incluem teoria e prática no próprio chão de fábrica.

As inscrições podem ser feitas no site do Senai no Paraná ou pelo e-mail [email protected].