Professores criam estratégias para interação no ambiente virtual

A professora Marília Gasparovic, utiliza um recurso chamado easter egg em suas aulas on-line para prender a atenção dos alunos.

Os professores do Centro FAG estão cada vez mais criativos. O empenho é para atrair seus alunos e motivá-los a participarem das aulas on-line. O NAD (Núcleo de Apoio ao Docente) dá sequência às capacitações referentes às metodologias ativas de ensino, como estratégias para promover a interação e um eficaz processo de aprendizagem.

Quando usar máscara de pano

A professora Marília Gasparovic, dos cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda, utiliza um recurso chamado easter egg em suas aulas on-line. “É tradição, em algumas culturas, esconder ovos de Páscoa e realizar uma busca divertida para encontrá-los. Por essa razão, o termo em inglês easter egg [em português, ovo de Páscoa] foi incorporado ao mundo midiático e virtual com sentido adaptado: é uma mensagem escondida propositalmente em alguma mídia, uma espécie de enigma a ser decifrado”, explica a docente.

Os easter eggs são “escondidos” no material de apoio. Conforme a explicação do conteúdo, os alunos vão reunindo as informações e conseguem identificar a mensagem, que geralmente tem relação com o conteúdo trabalhado, com o cenário atual do planeta ou com a área da comunicação. Quando o enigma é descoberto, a sua mensagem é refletida pela turma. “Um exemplo: em uma aula sobre gênero de entrevista, a mensagem estava relacionada ao Dia do Jornalista, comemorado no dia 7 de abril. Por isso, nessa data, o easter egg era a própria data, que sempre aparece nos slides preparados. Após os alunos identificarem, fizemos uma conversa sobre a relevância da profissão e a comemoração do dia”, detalha a professora Marília.

A acadêmica Maryanna Dulnik, do 5º período de Publicidade e Propaganda, aprovou a ideia: “O uso de easter eggs nas aulas on-line tem sido uma caça ao tesouro muito empolgante e criativa. Ajuda a manter o foco durante a aula, sem se dispersar por estar fora do ambiente da faculdade. É uma forma divertida de aplicar os conhecimentos durante a aula! Ideia mais que aprovada”.

A coordenadora do NAD, Lenir Schmitz, ressalta que a Instituição já vem inserindo a cultura de metodologias ativas e que o núcleo, neste momento, tem se colocado à disposição para dar suporte às iniciativas criativas, a fim de viabilizar aulas interativas. “Além das orientações gerais, também são realizados atendimentos específicos sobre as demandas encaminhadas pelas coordenações de curso, ou solicitadas pelos próprios professores, que estão se desafiando em realizar interações virtuais criativas, que primam pela qualidade das aulas realizadas de forma remota”.

Mosquito da dengue nas áreas externas


Fale com a Redação

9 − oito =