A Câmara de Vereadores de Cascavel foi palco na última quarta-feira (7) de debate sobre os 13 anos da Lei Maria da Penha. Para o bate-papo, a Escola do Legislativo convidou profissionais que atuam diretamente no combate à violência contra a mulher em Cascavel. Entre as debatedoras, estava a professora do curso de Direito do Centro Universitário FAG e promotora de Justiça Andrea Frias, titular da 15ª Promotoria, Juizado de Violência Doméstica Contra a Mulher e Vara de Crimes Contra Criança, Adolescente e Idosos.

Também compuseram a mesa a delegada da Polícia Civil Bárbara Strapasson, titular da Delegacia da Mulher, e a presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher, professora Salete Gerardi de Lima Chrun, com mediação da advogada e coordenadora da Escola do Legislativo da Câmara de Cascavel, Adriana Sales.

As três debatedoras apresentaram dados e seus pontos de vista pessoais a partir da atuação profissional e concordaram quanto à necessidade de se ampliar as ações de educação como princípio fundante de uma sociedade em que a mulher não seja vítima de tanta violência. Elas mostraram que, muitas vezes, a violência nem mesmo é percebida ou vista, uma situação que se agrava quando ainda se encontram pessoas que entendem a luta por direitos da mulher como “frescura” ou “mimimi”.

Andrea destacou em sua fala como o curso de Direito do Centro FAG tem se colocado à frente dessas discussões ligadas à violência contra a mulher. “Hoje, o aluno de Direito da FAG tem em sua grade curricular a violência contra a mulher. Além disso, também contamos com projetos de extensão que tratam desse assunto, convidando o aluno para que estude na teoria o assunto e que também atue na prática nas comunidades”, declara.

Após o debate sobre o tema, o evento especial da Câmara de Vereadores de Cascavel prestou homenagens a dez mulheres que representam a sociedade civil organizada e a luta pelos direitos da mulher.

Pela primeira vez em sua história, o Legislativo cascavelense, rendeu homenagem a mulheres que se destacaram na causa da igualdade para as mulheres nas mais diferentes esferas da vida comunitária. Andrea esteve entre as homenageadas: “Recebo muito humildemente essa homenagem, mas, no meu íntimo, acredito que cumpro minha obrigação. Quando há um reconhecimento, recebemos com muita gratidão, porque isso nos dá força para continuar nossa luta diária”.

Salete Gerardi de Lima Chrun, que, além de presidir o conselho é coordenadora do Setor Social da Fundação Assis Gurgacz, foi outra das mulheres escolhidas para receber a honraria. “Fico feliz e satisfeita com o reconhecimento por esse trabalho que já vem sendo feito há um tempo na luta por esse respeito à mulher. A homenagem nos inspira a fazer sempre o melhor”, expressa Salete.