Curitiba – Representantes do Executivo municipal participaram, nessa segunda-feira (21), de uma reunião no auditório da Secretaria de Infraestrutura Logística do Paraná, em Curitiba. Na pauta, o Projeto do Corredor Oeste de Exportação – Nova Ferroeste e a assinatura do termo de engajamento dos municípios ao projeto.

O convite para o encontro veio do gabinete do secretário de Infraestrutura Logística, Sandro Alex. Foram realizadas explanações sobre como está o projeto da Nova Ferroeste e quais os municípios que serão impactados positivamente com a passagem da ferrovia pela região oeste do Paraná. “É de uma importância ímpar esse modal de transporte. Ele se soma à atual malha rodoviária e pode render bons frutos para a região e nosso município”, disse o prefeito de Toledo, Beto Lunitti.

Segundo ele, foram expostos todos os trabalhos do Estado, por meio dos órgãos afetos ao projeto e da Ferroeste, com intuito de fornecer aos presentes informações sobre o traçado da ferrovia, bem como ouvir opiniões dos presentes sobre como aproveitar melhor a estrutura. “Apresentamos a nossa intenção de contar com um pátio multimodal para servir de ponto de chegada de saída para produção do nosso município e também da região”, expôs Lunitti.

Para ele, é fundamental que “estejamos unidos e engajados no propósito de fazermos do Paraná um estado com excelência no transporte, inclusive o ferroviário. Já estamos trabalhando nos números, no estudo de viabilidade, com o intuito de mostrar as potencialidades de Toledo e região”.

A intenção em apresentar a viabilidade técnica do pátio multimodal é oferecer subsídios para o convencimento dos investidores que concorrerão à administração da Nova Ferroeste. “O mundo dos negócios gira em torno dos ganhos. Nós sabemos da potencialidade da nossa região, mas é preciso transmitir essa nossa certeza em dados estatísticos e números para sermos contemplados com esse investimento”, concluiu Beto.

 

Nova Ferroeste

Durante o encontro, foi apresentado aos prefeitos o novo trajeto da ferrovia que liga Cascavel a Maracaju, no Mato Grosso do Sul e prevê um ramal de Cascavel a Foz do Iguaçu. Os prefeitos assinaram o termo de adesão ao projeto, que tem investimento previsto de R$ 8 bilhões. A nova ferrovia vai significar uma redução de 28% no custo Brasil, algo em torno de US$ 13 por tonelada.

Também reduzirá o tempo de transporte. Hoje, um contêiner de Cascavel leva 100 horas para chegar a Paranaguá. Com a nova Ferroeste, a expectativa é de que esse prazo seja reduzido para 20 horas.

A nova malha ferroviária terá 1.285 quilômetros de extensão total.