Prazo para inscrição e recadastramento no Fozhabita termina em 29 de novembro

Dados serão utilizados no chamamento das famílias que serão contempladas com novas habitações em 2020

Termina no dia 29 de novembro o prazo para novas inscrições e a atualização cadastral no Instituto de Habitação de Foz do Iguaçu – Fozhabita. A medida visa garantir maior segurança no chamamento das famílias devido à entrega de três novos conjuntos habitacionais, prevista para maio de 2020.

Para atualizar as informações, é necessário comparecer ao Fozhabita com os documentos pessoais de todos os membros da família e o comprovante de inscrição no Cadastro Único (CADÚnico), emitido pelos CRAS (Centros de Referência da Assistência Social). Para caso de pessoas com deficiência (PcD) ou com doenças crônicas incapacitantes para o trabalho, também é necessária a comprovação. O atendimento é feito de segunda à sexta-feira, das 8h às 17 horas, na sede do Fozhabita (Rua Quintino Bocaiuva, 595).

“É importante ressaltar que a atualização dos dados ou novos cadastros vale somente para quem não compareceu ao Fozhabita no último ano”, explica a diretora superintende Elaine Ribeiro Anderle. “Também é necessário que antes de ir ao Fozhabita, o morador passe no CRAS e traga atualizada a documentação do Cadastro Único”, disse. Até agora, 3.090 famílias estão com cadastros e inscrições atualizadas.

Moradias
A atualização dos dados deve-se a entrega dos novos conjuntos habitacionais, mas também por conta do novo sistema gestor da política habitacional, implantado no instituto no ano passado. “O cadastro atual pode não refletir a nossa realidade. Muitas famílias deixaram o Cadastro Único e mantiveram a inscrição no Fozhabita, outros já foram realocados, ou simplesmente são cadastros antigos, com endereço e telefone que já não existem mais”, disse a diretora superintende do Fozhabita.
 
Condomínios 
Estão em construção no município 956 moradias: O Residencial Angatuba, com 340 unidades habitacionais, os Residenciais Boicy I e II, com 576 unidades, além das 40 casas do Condomínio do Idoso. Recentemente também foram licitadas, pela Cohapar, 100 casas na região do Lagoa Dourada. Juntos, os investimentos passam de R$ 86 milhões. 
 
De acordo com o Fozhabita, cerca de 100 famílias que vivem hoje na Comunidade do Monsenhor Guilherme terão prioridade no Residencial Angatuba por se tratar de uma medida judicial que determina a realocação. As demais unidades habitacionais são direcionadas por sorteio às famílias prioritárias, de acordo com os critérios de hierarquização estipulados pelo Ministério das Cidades e adotados pela Caixa Econômica Federal: residentes em áreas de risco, famílias com idosos ou pessoas com deficiência e famílias onde as mulheres são as responsáveis do lar.


Fale com a Redação

1 × um =