O atleta Davi Inoue Langaro desponta como uma das grandes promessas do handebol paranaense. Destaque nas competições que disputa, o garoto prodígio foi convocado pela Confederação Brasileira de Handebol para um período de treinamento com a Seleção Brasileira Cadete, visando à formação do elenco para competições internacionais.

O armador esquerdo participa das atividades até segunda-feira (05), no Centro de Treinamento da Seleção Brasileira de Handebol, em São Bernardo do Campo (SP). Os trabalhos são conduzidos pelo técnico do São Caetano, Alberto Gallina Neto. “Essa experiência está sendo muito importante pra mim, pois é fruto do que treinei o ano todo. São realizados dois treinos diários, trabalhando a característica proposta pela Seleção. Os treinos têm sido muito intensos, pois são os melhores do país disputando posições. Estar representando a Seleção é uma sensação gratificante, é um sonho”, ressaltou Davi.

Com 16 anos, o jovem talento já teve passagens por clubes de Francisco Alves (PR), Iporã (PR), Cascavel (PR), Jussara (PR), Itajaí (SC) e GHC (PI). Dentre os títulos que coleciona estão do Campeonato Paranaense de Handebol Cadete e da divisão B dos Jogos da Juventude do Paraná, além do 6º lugar no Mundial Escolar. Com a Seleção Brasileira conquistou a medalha de prata do Campeonato Sul-Americano de Handebol Cadete em 2017.

Davi segue os passos do pai Alessandro, que foi jogador de handebol e atuou como treinador por muitos anos, e do irmão Haniel, que atualmente veste a camisa do clube francês Dunkerque Handball Grand Littoral. “Jogar profissionalmente é mais um sonho que vou buscar. Tenho meu irmão que me auxilia muitas vezes, mas quero criar minha própria história”, declarou.

Além do paranaense, foram convocados os mato-grossenses Alessandro Santos Bomdespacho, Daniel Hanel e Taylon Alves Torres; o gaúcho Eduardo Santos Machado; os paulistanos Enzo Adamo Santos, Felipe Castelar do Prado Silva, Heitor Mauri de Araujo Trettel, Hugo Bryan Monte dos Santos, Kauan Rodrigues de Lima Santos, Philipp Seifert, Thiago Borges Moraes Silva e William da Silva Santos; os catarinenses João Vitor Rosso, Luis Otávio Gava, Mateus Cardoso Ferrari e Matheus Ferreira de Paula; os capixabas Heitor Zanelato Quimquim e Rafael Oliveira Savergenini; o maranhense Isaac Anderson da Conceição Silva e o goiano Guilherme de Carvalho Cabral.