Paraná se torna área livre de aftosa sem vacinação dia 15

A meta é para que a OIE reconheça o Estado livre da aftosa e sem vacinação em maio de 2021.

 Reportagem: Juliet Manfrin com assessoria

Curitiba – A primeira data estava prevista para o dia 30 de setembro, mas a confirmação foi reagendada e o Paraná vai se tornar área livre de aftosa sem vacinação oficialmente na próxima terça-feira (15).

Nesta semana, representantes de entidades do setor produtivo paranaense se reuniram na sede do Sistema Ocepar, em Curitiba, com o objetivo de discutir temas ligados à febre aftosa e à peste suína clássica.

Eles também se prepararam para a visita da ministra da Agricultura, Tereza Cristina, na próxima semana quando assinará, em Curitiba, a Instrução Normativa 44, que possibilita tornar o Paraná área livre de febre aftosa sem vacinação, 50 anos após o início dos trabalhos para alcançar o status sanitário.

“Essa medida vem para coroar todo o trabalho realizado em conjunto entre entidades públicas e privadas com o propósito de alcançarmos esse novo status sanitário. Para que isso ocorresse, foram desencadeadas várias ações, como construção de barreiras, publicação de edital para contratação de pessoal, entre outras, em atendimento às exigências que o processo impõe, incluindo as auditorias do Mapa. É um passo importante para que, em 2021, a Organização Mundial de Saúde Animal também reconheça essa condição do Paraná, durante sua Assembleia Geral. Isso será fundamental para abrir mercado às carnes produzidas aqui”, afirma o superintendente da Ocepar, Robson Mafioletti.

Participaram da reunião desta semana em Curitiba representantes do Ministério da Agricultura, da Adapar (Agência de Defesa Agropecuária do Paraná), da Faep, da Ocepar e do Fundo de Desenvolvimento Agropecuário do Estado do Paraná.

A meta é para que a OIE reconheça o Estado livre da aftosa e sem vacinação em maio de 2021.

 



Fale com a Redação

19 + dezesseis =