Curitiba – O secretário de Estado de Saúde, Beto Preto, enalteceu ontem os números da vacinação contra a covid-19 no Paraná, lembrando que 91,6% da população acima de 18 anos já recebeu ao menos uma dose ou a dose única, e 46,5% está completamente imunizada. Contudo, ele alerta que de 3 a 5% da população-alvo ainda não tomou a segunda dose. “Você está correndo risco, principalmente com as novas cepas. Estamos correndo contra o tempo para que todos sejam imunizados o mais rápido possível”.

Ele ressaltou que, nos últimos dias, os municípios observaram aumento na procura da vacina por faixas etárias que já foram atendidas: “Muitas pessoas estão procurando a chamada repescagem da vacina. Alguns não acreditavam ou tinham medo da imunização e agora que estamos nos aproximando de finalizar esse grupo, essas pessoas têm buscado a vacinação”.

O Paraná recebeu ontem 303.030 vacinas contra a covid-19 da Pfizer/BioNTech, que fazem parte da 50ª pauta de distribuição e são destinados integralmente à aplicação de primeiras doses (D1), porém, ainda não veio remessa para os adolescentes de 12 a 17 anos. “Seguimos a pauta do Ministério da Saúde, que deve se manifestar entre terça e quarta sobre os adolescentes e a terceira dose”, disse o secretário.

A previsão é de que até amanhã esteja definido o esquema de vacinação desse público, inclusive a dose de reforço a quem tem mais de 70 anos.

Sobre a divisão do lote aos municípios, Beto Preto disse que tudo está sendo analisado com calma: “Alguns municípios chegaram a 18 anos, mas deixaram muita gente para trás e, por isso, a repescagem é importante. Outros estão em 20, 21 anos, depende muito da estratégia de cada cidade. Nós cuidamos para que a vacina chegue a todos”, afirmou o secretário. “Hoje temos de 3 a 5% de faltosos na segunda dose e é importante ressaltar que a segunda aplicação é tão importante quanto a primeira, porque é ela que garante a imunização contra a doença. Quem tomou a primeira dose deve ficar atento ao calendário de imunização e retornar para a segunda aplicação”.

Vacinômetro

Segundo os dados do Vacinômetro nacional, o Paraná já aplicou 11.729.836 doses, sendo 7.673.102 D1, 321.649 doses únicas (DU) e 3.735.085 segundas doses (D2). Entre D1 e DU, o Estado já atingiu 91,6% da população adulta estimada em 8.720.953 pessoas com, pelo menos, uma dose. Já considerando D2 e DU, 46,5% dos paranaenses com mais de 18 anos estão completamente imunizados com a doença.

Falta de D2

Sobre a possível falta de vacinas para D2, o secretário reafirmou que não houve atraso por parte do Ministério da Saúde e da Secretaria de Estado. “Não há nenhum atraso de repasse de doses para D2 no Paraná. Se houver algum município com doses faltando, certamente houve a aplicação de D2 como D1 ou até mesmo aplicação em residentes de outras cidades. O Ministério da Saúde tem cumprido com os prazos e logo que as doses chegam ao Estado, já são descentralizadas para os municípios”, explicou.

Leitos

Sobre a ocupação de leitos exclusivos para covid-19, a menor desde novembro do ano passado, o secretário disse que é preciso cautela: “A pandemia não acabou. Com as vacinas, as medidas não farmacológicas, como distanciamento social, uso de máscara, são essenciais para que a gente consiga vencer a covid-19”.

Variante Delta

O secretário Beto Preto alertou também que a variante Delta, descoberta na Índia, deve se disseminar mais rapidamente. “Caminha para ser a variante prevalente no Paraná até o fim do ano. Isso é fato, é esperado. Continuamos com as orientações não farmacológicas [máscara e não aglomeração] e insistindo na estratégia da vacina, que vai fazer a diferença”.

Sesa divulga mais 1.924 casos e 44 mortes

A Secretaria de Estado da Saúde divulgou nessa segunda-feira (13) mais 1.924 casos confirmados e 44 mortes em decorrência da infecção causada pelo novo coronavírus. Os dados acumulados do monitoramento da covid-19 mostram que o Paraná soma agora 1.473.335 casos confirmados e 37.896 mortos pela doença.

Os casos informados ontem são de setembro (1.491), agosto (259), julho (32), junho (97), maio (44) e abril (1) de 2021.

O Estado tem 2.236 internados em leitos exclusivos para tratar covid-19, dos quais 1.247 estão em UTI. É o menor número desde janeiro.

Quanto aos óbitos, tratam-se de 19 são mulheres e 25 homens, com idades que variam de 26 a 99 anos. Os óbitos ocorreram entre 9 de abril a 13 de setembro de 2021.