O Paraná continua líder nacional em doações de órgãos com 33,0 doações por milhão de população (pmp). A média do Brasil é de 13,7 pmp. O Estado fechou o ano de 2020 com 41,6 pmp e garantiu a liderança desde então. Neste ano foram 213 doações efetivas, que resultaram em 353 transplantes de órgãos e 365 transplantes de córneas.

Os dados são do Registro Brasileiro de Transplantes (RBT) que analisa as notificações de janeiro a julho deste ano junto a Associação Brasileira de Transplante de Órgãos (ABTO).

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) e o Sistema Estadual de Transplantes (SET/PR) reforçam a importância da conscientização da doação de órgãos por meio da campanha Setembro Verde. No Paraná, 2.459 pessoas aguardam por uma doação.

“Uma única pessoa, sendo doadora, pode salvar até dez vidas. Cada um de nós possuímos cinco vezes mais chances de precisar de um órgão, do que de efetivamente conseguirmos um doador. Então falarmos sobre doação e principalmente, comunicarmos os familiares sobre esse desejo, é sem dúvida um ato de amor ao próximo”, disse o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

DESTAQUE EM TRANSPLANTES – No último ano, o Estado teve 1.161 notificações de potenciais doadores e 475 doações efetivas, as quais corresponderam a 698 transplantes de órgãos sólidos realizados no Estado.

Na análise dos dados brasileiros, O RBT destaca que “com o agravamento da pandemia pela Covid-19 em todo o país, a partir de fevereiro, acentuou-se a queda na taxa de doações e transplantes”. Inevitavelmente, todos os estados registraram queda nas doações de órgãos e transplantes.

Mesmo assim, o documento destaca que apenas três unidades da federação ultrapassaram 30 transplantes renais pmp – Paraná, São Paulo e Distrito Federal. O Estado atingiu 36,5 pmp, acima da média nacional de 19,2 pmp. O Paraná também está entre os três estados que mais realizaram transplantes hepáticos (fígado) com 15,8 pmp, enquanto a média brasileira é de 8,7 pmp. Já com relação a transplantes de pâncreas, o Paraná está entre os cinco estados que realizaram o procedimento.

COVID-19 – No Paraná todos os potenciais doadores de órgãos estão sendo testados para o Covid-19, através do exame RT-PCR, garantindo segurança aos receptores e tranquilidade aos profissionais de saúde envolvidos no processo.

ESTRUTURA – O Estado conta com uma Central Estadual de Transplantes responsável pela área administrativa e plantão da instituição, localizada em Curitiba, além de quatro Organizações de Procura de Órgãos (OPO’s) – Curitiba, Londrina, Maringá e Cascavel. Estes centros trabalham na orientação e capacitação das equipes distribuídas em 67 hospitais do Paraná, que mantêm Comissões Intra-Hospitalares de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CIHDOTT). Ao todo são cerca de 700 profissionais envolvidos, entre eles 23 equipes de transplante de órgãos, 25 centros transplantadores de córneas e quatro bancos de córneas em atividade – Curitiba, Londrina, Maringá e Cascavel.

Confira os dados de doações do SET/PR.