osorio.JPGRIO – Candidato do PSDB à prefeitura do Rio, Carlos Osorio prometeu, em entrevista ao GLOBO, reduzir pela metade o número de secretarias e fazer uma revisão completa nas 67 autarquias, fundações e empresas públicas da administração municipal. Segundo ele, a medida serviria para a máquina pública voltar a respirar. Assim como o candidato Marcelo Crivella (PRB), Osorio criticou o prefeito do Rio Eduardo Paes (PMDB) por ter assumido responsabilidades do governo do estado e da União em relação à realização dos Jogos Olímpicos, o que, segundo o candidato do PSDB, apertou a prefeitura do Rio.

– Ele (Paes) entendeu que ser o dono exclusivo dos Jogos Olímpicos ia ser o trampolim (para disputas políticas futuras) – disse Osorio.

Embora critique Paes, o candidato do PSDB preferiu não entrar em polêmica ao falar sobre o pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, para arquivar inquérito contra Pedro Paulo (PMDB), seu adversário na disputa. O peemedebista é acusado de bater na ex-mulher, Alexandra Marcondes.

– Esse é um caso que o Pedro Paulo tem que comentar. É um tema dele – disse Osorio, afirmando que compete ao peemedebista se explicar.

O candidato do PSDB começou a campanha na Rocinha, na Zona Sul do Rio, para falar que seu foco será o saneamento básico. Osorio declarou que pretende fazer parcerias público-privadas para as obras no setor e que as empresas vencedoras farão também a operação do serviço, incluindo o tratamento. Haveria uma tarifa social a ser paga pelos moradores, que será definida em cada licitação, e, em algumas comunidades, a prefeitura poderá pagar a outra parte. A promessa de Osorio é que isso aconteça inicialmente em 25 comunidades.

O tucano disse ainda que concluirá todas as obras deixadas pela atual gestão e que não vai mudar os nomes de nenhum programa. Questionado se não causará estranhamento ao eleitor as críticas a administração de Paes, de quem foi secretário, Osorio declarou que há outras candidatos que também exerceram a função na gestão do peemedebista: Indio da Costa (PSD) e Jandira Feghali (PCdoB), além de Pedro Paulo.

– A primeira administração foi aprovada. Eu reconheço o mérito da primeira administração. Da segunda, eu faço algumas críticas – afirmou Osorio.