Olimpíada pode ser adiada por causa do coronavírus, diz ministra japonesa

O governo do Japão admitiu a hipótese de adiar os Jogos Olímpicos Tóquio 2020

Tóquio – O surto de coronavírus (Covid-19) que já ganhou proporção global e causou o cancelamento de eventos esportivos segue gerando dúvidas na comunidade esportiva. Tanto que nessa terça-feira (3) o governo do Japão admitiu a hipótese de adiar os Jogos Olímpicos Tóquio 2020, que começam em 24 de julho, para o fim do ano por causa da doença, que já matou ao menos seis pessoas no país – desconsiderando os 706 casos e seis mortes ligadas ao navio Diamond Princess, que estava em quarentena em Yokohama.

Quando usar máscara de pano

Segundo a ex-patinadora e ministra da Olimpíada no Japão, Seiko Hashimoto, o contrato com o COI (Comitê Olímpico Internacional) prevê que o evento seja realizado em 2020. Na interpretação da organização dos Jogos, a afirmação abriria a possibilidade de um adiamento da competição em alguns meses.

“O COI tem o direito de cancelar os Jogos somente se eles não ocorrerem dentro de 2020. Isso pode ser interpretado como a possibilidade dos Jogos serem adiados, contanto que sejam realizados durante esse ano”, explicou Hashimoto durante uma audiência do Parlamento japonês.

No entanto, a ministra garantiu que o governo “está fazendo de tudo” para garantir que a Olimpíada ocorra dentro das datas planejadas, de 24 de julho a 9 de agosto.

COI garante Jogos em julho

Atento ao avanço do coronavírus e com a possibilidade de adiamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio, o presidente do COI, o alemão Thomas Bach, rechaçou a hipótese de adiamento e garantiu que a Olimpíada começará no dia programado. “O COI está totalmente determinado a fazer com que os Jogos ocorram com sucesso a partir de 24 de julho e até 9 de agosto”, declarou, ontem, na abertura da reunião do Comitê Executivo da entidade, em Lausanne, na Suíça.

Mosquito da dengue nas áreas externas


Fale com a Redação

catorze − 4 =