Oficinas de férias têm encontro de gerações

Crianças e adultos interagem, aprendem e se divertem com montagem de robôs e confecção de foguetes

Troca de conhecimentos, diversão e colaboração, sem se importar com a idade dos companheiros de trabalho. Esse é o clima nas oficinas de férias – todas voltadas à tecnologia – promovidas pela Secretaria de Estado da Educação e do Esporte no Paraná. Os cursos seguem até esta sexta-feira (19), no Seed Lab, projeto da pasta que busca incentivar o uso de novas metodologias no ambiente escolar.

Técnico pedagógico do espaço, Ailton Lopes conta que o público que se inscreveu para as oficinas foi bastante variado – crianças e adultos, passando por jovens que cursam o Ensino Médio e universitários. A idade mínima para participar é oito anos. “Há crianças trabalhando com os adultos, pais e filhos trabalhando juntos. O clima é de parceria, muito característico da aprendizagem criativa. É uma troca de experiências com os pares, independentemente da idade”.

É o caso do técnico em informática Fabio de Goes, que participou da oficina Lançamento de Foguetes com o filho Miguel, dez anos. Goes explica que, como pai, assumiu um papel mais de auxiliar durante o curso para que o menino, que adora Ciências e Matemática e sonha em ser astronauta, pudesse assumir o protagonismo da experiência.

“Na minha época de infância eu não tive oportunidades como essa. Então, tudo o que meu pai não teve tempo de fazer comigo eu tento proporcionar para ele”, diz Goes, que ressaltou a importância de oferta oficinas do gênero e sem custo para os participantes.

“Adotadas”

Mesmo as crianças que não estavam acompanhadas pelos pais acabaram sendo “adotadas” por outros adultos que passaram pelo Seed Lab. Enquanto o filho participava do curso Descomplicando a Programação, o professor de Biologia Alexandre Aparecido da Silva formou dupla com Isabella Machado, 8 anos, na oficina de foguetes. Foi a mãe da menina que soube da oficina e decidiu inscrever a filha, já que ela gosta muito de Matemática.

Usando materiais como embalagens usadas de caneta, elásticos, garrafas pet, canos de PVC e papelão para montar o artefato, que mais tarde seria lançado, eles puderam aprender conceitos físicos, como trajetória, movimento e energia, similares aos que são utilizados na Olimpíada Brasileira de Astronomia. Silva aprovou a experiência de trabalhar com alguém bem mais jovem. “Foi muito bom aprender com a Isabella e também ensinar. Acho que ela não vai se esquecer nunca da nossa parceria”.

Oportunidade

As oficinas do Seed Lab priorizam a criatividade, o aprender e ensinar de forma divertida. As crianças também são tranquilizadas de que errar não é nada de outro mundo. Na aprendizagem “mão na massa”, o erro é etapa natural do processo, uma vez que o conhecimento construído de forma empírica tem variáveis que precisam ser levadas em consideração.

Para quem atua na educação, as oficinas são uma oportunidade para inspirar novas metodologias a serem trabalhadas em sala. Mesmo sem conhecimento prévio na área, a pedagoga Gisele Rosa decidiu se inscrever no curso Descomplicando a Programação. “Exatamente por eu ser pedagoga, vim conhecer um pouco mais sobre programação, para poder dialogar com os professores e levar inovação para os alunos da escola onde eu atuo”, disse. “É uma oportunidade que todos deveriam aproveitar, pois enriquece a vivência pessoal e, principalmente, a profissional”.

O também pedagogo Rodrigo Cardoso se aventurou na programação com o intuito de compartilhar a experiência com equipe pedagógica e alunos da escola onde trabalha. “Eu cobro tanto dos professores que eles têm que fazer atividades com metodologias diferenciadas para sair um pouco do tradicional quadro e giz. E se cobro deles, eu também tenho que me aperfeiçoar. Mesmo com o recesso eu quis vir aprender e deixei para passear depois”.

A oficina Descomplicando a Programação abordou temas como pensamento computacional, programação desplugada e até robótica. Os participantes montaram e programaram robôs com Lego. A atividade contou com a participação da equipe de robótica Doctors Machines, formada por alunos e ex-alunos do Colégio Estadual Padre Cláudio Morelli, de Curitiba. A equipe foi bicampeã regional da Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR) e recentemente se classificou para a etapa estadual

O Seed Lab

O Seed Lab é um projeto desenvolvido pela DIT (Diretoria de Tecnologia e Inovação Educacional) da Secretaria da Educação e do Esporte. Com sede em Curitiba, foi criado com a finalidade de promover e incentivar o uso de novas metodologias e tecnologias nas escolas do Estado.

Periodicamente, o espaço promove oficinas voltadas tanto a alunos e professores da rede estadual quanto à comunidade em geral. Neste recesso de julho de 2019 foram ofertadas 240 vagas, divididas em oito oficinas: A Arte do Corte a Laser; Descomplicando a Programação; Desenvolvimento de Histórias em Quadrinhos; Fábrica de Brinquedos Eletrônicos; Lançamento de Foguetes; Programe como uma Garota; Projetando Máquinas Hidráulicas; Técnicas da Animação Clássica. Mais uma edição de oficinas deve ocorrer em janeiro.



Fale com a Redação

três × cinco =