Oeste perde 51% do trigo; prejuízo soma R$ 250 milhões

A previsão agora é colher 309 mil toneladas.

Cascavel – De 1 milhão de hectares cultivados com trigo nesta safra em todo o Paraná, 80 mil sofreram perdas totais em decorrência das três geadas intensas e consecutivas ocorridas no primeiro fim de semana deste mês.

Segundo dados divulgados ontem (24) pelo Deral (Departamento de Economia Rural) da Seab (Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento), em 189 mil hectares cultivados nos núcleos regionais de Cascavel e de Toledo, de onde se esperava colher 630 mil toneladas, há quebra confirmada de 51%. A previsão agora é colher 309 mil toneladas.

Na prática, prejuízo de R$ 250 milhões, considerando a cotação de ontem da saca do cereal de R$ 46,50. Detalhe: estamos apenas na metade do ciclo de desenvolvimento.

O engenheiro agrônomo Carlos Hugo Godinho, do Deral, explica que a estimativa de 3,2 milhões de toneladas caiu para 2,7 milhões de toneladas, uma quebra de 16% no Estado. Na safra passada, o Paraná colheu 2,8 milhões de toneladas, 650 mil na região oeste.

As lavouras mais atingidas foram as que estavam na fase de floração e frutificação, estágio alcançado no momento das geadas por seis em cada dez hectares cultivados.

 

Safra no fim

No mesmo boletim divulgado ontem, o Deral reavaliou a safra de grãos 2018/2019, que caminha para o fim. O cultivo no Paraná será 5% maior que no ciclo passado, com total de 37,2 milhões de toneladas, ante 35,4 milhões de toneladas.

Apesar das perdas de 17% na safra de soja (baixando de 19,6 milhões para 16,2 milhões de toneladas) e de 16% do trigo, a produção do milho safrinha cresceu 50%. Com 65% das lavouras colhidas, pode alcançar 13,5 milhões de toneladas ante pouco mais de 9 milhões de toneladas no ano passado. Na região oeste, a produção de milho deve alcançar 5,5 milhões de toneladas.

Reportagem: Juliet Manfrin

 



Fale com a Redação

6 + 13 =