Oeste já gastou R$ 28 mi no combate ao coronavírus; R$ 21,57 por habitante

Os dados constam no Data Covid-19, ferramenta criada pelo Ministério Público para monitorar e fiscalizar o uso de recursos públicos durante a pandemia

Cascavel – Municípios de todo o País têm recebido recursos específicos para ações de controle da pandemia do novo coronavírus. Na região oeste, as 50 prefeituras receberam quase R$ 25,5 milhões, mas os gastos já lançados são maiores: R$ 28,3 milhões, o que corresponde ao investimento de R$ 21,57 por habitante. A média está acima da estadual, que é de R$ 18,47, com total de R$ 211,166 milhões já gastos pelos 399 municípios. Os dados constam no Data Covid-19, ferramenta criada pelo Ministério Público para monitorar e fiscalizar o uso de recursos públicos durante a pandemia.

Quando usar máscara de pano

Todo o controle tem uma explicação: 81,2% dos gastos no Estado foram feitos com dispensa de licitação, um total de R$ 171,5 milhões.

O Data Covid-19 é alimentado a partir das informações disponíveis nos portais de transparência dos municípios. Aí entra outro problema. Apenas 50 das 399 prefeituras têm um portal satisfatório, o que equivale a 12,5%. Como consequência, dos R$ 211,166 milhões gastos, há informação de apenas R$ 155,910 milhões, ou seja, mais de 26% desses valores não têm ainda lançamento nos portais de transparência e não se sabe como nem com o que foram gastos.

Ao todo, as prefeituras paranaenses receberam R$ 318.394.943,99 da União mais R$ 22.867.914,00 do Estado para uso exclusivo no combate à pandemia, totalizando R$ 341.262.857,99. Os dados do painel estão atualizados até 20 de julho.

Dos R$ 28 milhões, o oeste gastou R$ 8,954 milhões (31,5%) em infraestrutura e R$ 6,735 milhões (23,8%) em materiais de consumo e EPIs.

Destaques

Na região, a cidade que mais investiu nesse tipo de ação é Foz do Iguaçu, com quase o triplo do valor gasto por Cascavel, por exemplo. A Terra das Cataratas gastou 28% a mais do que recebeu até agora. A maior parte do investimento foi em infraestrutura: R$ 8,2 milhões, 64% dos R$ 12,8 milhões totais. Também é a cidade que mais recebeu recursos, com média de R$ 38,54 por habitante.

Logo atrás está Cascavel, com R$ 4,5 milhões aplicados em aquisições, 90,5% do montante recebido. A maior despesa ocorreu com materiais de consumo e EPIs (R$ 2,5 milhões).

Com gastos na casa de milhão, estão ainda as Prefeituras de Marechal Cândido Rondon (R$ 1,8 mi), Guaíra (R$ 1,5 mi) e R$ Corbélia (R$ 1,4 mi).

Dos 50 municípios, 19 gastaram mais que o valor recebido e 19 a menos. Outros 12 não informaram gasto algum até agora, embora já tenham recebido sua parte.

Em termos proporcionais, quem mais gastou além do que recebeu foi Tupãssi (627%). Como consequência, a cidade tem o quarto maior investimento per capita, de R$ 64,92, atrás apenas de Diamante D’Oeste (R$ 75,98), Entre Rios do Oeste (R$ 76,87), Santa Lúcia (R$ 78,58) e Corbélia (R$ 84,83).

Acesse o Data Covid e confira os valores de todas as cidades.

Gastos totais do Oeste

 

Gastos de Cascavel

 

Gastos de Foz do Iguaçu

 

 

Mosquito da dengue nas áreas externas

Receba as principais notícias através do WhatsApp

ENTRAR NO GRUPO

Lembre-se: as regras de privacidade dos grupos são definidas pelo Whatsapp. Ao entrar seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.


Fale com a Redação