Reportagem: Juliet Manfrin

Cascavel – A estimativa populacional divulgada ontem (28) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) deste ano e que tem como data de referência 1º de julho de 2019 indica que a tendência de cidades menores e com menos oportunidades de emprego e renda na região continua: elas perdem população em detrimento de centros maiores.

Os números revelam que, apesar de a maioria dos 50 municípios da região manter a população praticamente estável ou até perda de habitantes (33 deles, ou seja, 66%), o crescimento de municípios maiores como Cascavel, Toledo e Marechal Cândido Rondon fez com que a condição registrada ano passado se invertesse. Na estimativa de 2018, pela primeira vez na história, a região perdera população, cerca de 1%. Agora, o avanço foi de 0,59%.

Em 2017, éramos 1.309.564, ano passado baixamos para 1.307.461 e agora somamos 1.315.226 oestinos. Mas o crescimento regional vem sendo tímido. Nos últimos cinco anos o oeste cresceu na ordem de 2%. Em 2014, a estimativa indicava 1.286.612 pessoas.

Os que encolheram e os que cresceram

Em percentuais, os municípios que mais encolheram foram: Campo Bonito (-1,8), Formosa do Oeste (-1,8%), Guaraniaçu (-2,05%), Iracema do Oeste (-1,6%), Lindoeste (-1,8%) e Nova Aurora (-1,7%). Entre os pontos de destaque está Foz do Iguaçu, a segunda mais populosa do oeste e a sétima do Paraná, foi a que mais perdeu habitantes em números absolutos, -291, chegando agora aos 258.532 moradores.

Nenhuma cidade da região teve crescimento maior que 2% e apenas duas conseguiram chegar próximo a esse indicador. Foram os casos de Cafelândia (de 17.775 para 18.120 moradores) e Itaipulândia (de 10.961 para 11.176).

Considerando números absolutos, Cascavel foi a que mais cresceu. A primeira do oeste e a quinta mais populosa do Estado ganhou em um ano 3.978 moradores, saindo de 324.476 ano passado para 328.454 agora. Toledo teve o segundo maior crescimento, de 138,572 para 140.635, ou seja, 2.063 novos habitantes, mantendo a condição de 12ª mais populosa do Paraná.

Em Marechal Cândido Rondon, o incremento populacional foi de 565 (de 52.379 para 52.944). Na soma, o oeste recebeu em um ano 7.765 novos moradores.

Veja a estimativa populacional.

Os menores municípios

O menor município do oeste é Iguatu, com apenas 2.256 habitantes, que perdeu dois moradores em um ano. Na relação estadual, ele é o 12º menos populoso de todo o Paraná. Quem lidera esse ranking é Jardim Olinda, município do noroeste, onde vivem 1.331 pessoas. Outros menos populosos na região são: Iracema do Oeste (2.288) e Anahy (2.801).

Os números do IBGE revelam ainda que 56% da população do oeste está concentrada em três cidades: Toledo (11% da população regional), Foz do Iguaçu (20%) e Cascavel (25%). O restante (587.605 pessoas) vive nos outros 47 municípios.

Por força judicial

Fica no oeste o único município paranaense com ressalva na população estimada pelo IBGE. Trata-se de Santa Tereza do Oeste. Segundo informações da prefeitura, o prefeito Hélio Merciniak, o Kabelo, foi à Justiça, ainda no início deste ano para evitar ser rebaixado na categoria para recebimento do FPM (Fundo de Participação dos Municípios).

Na estimativa do IBGE, Santa Tereza tinha, ano passado, 10.182 habitantes, caindo para 10.139 neste ano. Por força judicial, a nota anexada esclarece que a “população judicial do Município de  Santa Tereza do Oeste é de 10.471 habitantes”, referente ao processo judicial 5012452-12.2018.4.04.7005, da Justiça Federal do Paraná. Para fins de contagem vale, por enquanto, o indicador do IBGE.

Paraná e Brasil

O Paraná cresceu 0,7% e ganhou 85.020 novos moradores. Agora, os 399 municípios paranaenses somam 11.433.957 habitantes. A população da região oeste representa 12% do total estadual. Curitiba é a mais populosa e tem hoje 1.933.105 moradores.

Os 5.570 municípios brasileiros abrigam 210.147.125 habitantes.

Assim, o Brasil contou com uma taxa de crescimento populacional de 0,79% no ano, apresentando queda do crescimento quando comparado ao período 2017/2018, conforme a Projeção da População 2018.

O País tem 17 cidades com mais de 1 milhão de habitantes. Curitiba é a oitava em população. A liderança permanece com São Paulo, com 12,25 milhões, seguida por Rio de Janeiro (6,72 milhões), Brasília (3 milhões), Salvador (2,9 milhões), Fortaleza (2,6 milhões), Belo Horizonte (2,5 milhões) e Manaus (2,1 milhões). Já o menor município brasileiro é Serra da Saudade, em Minas Gerais, com apenas 781 moradores.