O que é fisiatria e quais são seus impactos nos pacientes

Campo funcional da medicina, trabalha a reabilitação do paciente de forma a elevar ao máximo a qualidade de vida

O avanço da medicina tem na prevenção um foco a ser trabalhado com afinco, assim abre-se um leque tratamentos em campo menos tradicionais. Entre eles está a fisiatria. Especialidade que trabalha a reabilitação e a melhora das funções em pessoas com deficiência e outras doenças incapacitantes.

Com o envelhecimento populacional, esse tipo de problema tende a ganhar volume. De acordo com dados de 2011, da Organização Mundial da Saúde (OMS), estima-se mais de 1 bilhão de pessoas com deficiência no mundo. Dessas, 45 milhões estão no Brasil segundo dados coletados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O que representa 24% da população.

Ainda como um campo pouco conhecido da medicina, a fisiatria é uma especialidade médica que aborda a funcionalidade. Atua no intuito de compreender de que forma uma doença impede a pessoa de ser completa e age para resolver esse problema.

O estranhamento do campo da medicina se dá pelo histórico, em que as especialidades estão voltadas a órgãos, sistemas, grupos patológicos, além de procedimentos médicos que podem ser diagnósticos ou terapêuticos específicos. Ainda há o fato de que a maioria dos médicos formados hoje não tiveram essa disciplina na faculdade.

A fisiatria vai na contramão de uma leitura mecanicista do corpo, atua numa perspectiva preventiva e ampla. Procura tratar o ser humano em uma perspectiva biopsicossocial, em que a causa ou o progresso da doença são examinados através de fatores biológicos, psicológicos e sociais.Perspectiva que analisa o corpo humano como um sistema integrado entre físico, mental e emocional, além de ambiental buscando um equilíbrio geral.

É uma contraposição ao tradicional estudo da doença, em que a saúde se volta para a cura e negligencia — involuntariamente — a prevenção. Essa nova perspectiva vai de encontro com a definição de saúde da OMS: “Saúde é um estado de bem estar biopsicossocial, e não apenas ausência de doença”.

O fisiatra é o médico da função, com o emprego de agentes e terapias médicas na cura e reabilitação para que o paciente possa executar plenamente sua rotina, suas atividades e tarefas.

A fisiatria pode tratar cérebro, medula espinhal, nervos, ossos, articulações, ligamentos, músculos e tendões. Incide em distúrbios ligados à deficiência física na prevenção, diagnóstico e tratamento não cirúrgico.

O método aborda diferentes facetas do ser humano, suas necessidades físicas, emocionais e sociais de forma a levar a qualidade de vida ao máximo. Não só como cura, mas também pensando nas necessidades e no acolhimento daquele paciente.

O tratamento é realizado por um fisiatra que gere uma equipe com fisioterapeutas, médicos e terapeutas diversos podendo prescrever medicamentos, dispositivos auxiliares e também terapias diversas.

 

Informe publicitario

 



Fale com a Redação

cinco − um =