O mineiro que adotou o Paraná

Valdomiro faria 80 anos no dia 25 de agosto

Natural de Águas Formosas (MG), Valdomiro Pereira Nunes se mudou para o Paraná com 35 anos de idade, em 1974. Ele veio para o Estado em busca de trabalho.

Em Cascavel, trabalhou na roça e na construção civil. Porém, insatisfeito com as funções, Valdomiro decidiu se mudar novamente. Dessa vez, para se dedicar aos estudos.

Ele passou ainda por outras duas cidades paranaenses: “Ele se mudou para Curitiba e depois para Maringá para fazer cursos de segurança porque queria trabalhar com outras atividades”, conta a prima Maria Moura.

Quando retornou a Cascavel, Valdomiro conseguiu o almejado emprego: segurança do Proforte. Função que desempenhou durante 26 anos, até se aposentar.

Maria conta o que ele mais gostava de fazer: “Ele gostava de tudo organizado… sempre cortava a grama, limpava o lote, mas também gostava de se divertir tirando fotos”.

Para ela, o primo sempre será lembrado como uma pessoa forte. “Ele foi um homem bom, trabalhador, honesto e que nunca se queixou por estar enfermo, encarou os problemas pulmonares com fé”.

Trabalho voluntário

Apesar da mudança de estado, do sonho em crescer na vida e do emprego desempenhado como segurança, Valdomiro Nunes nunca deixou para trás a fé em Deus.

Ele trabalhou voluntariamente durante cinco anos como diácono, aquela pessoa que serve e ajuda a Igreja e todos os fiéis na Assembleia de Deus, local que frequentava com a esposa, Maria Nunes.

“Ele também trabalhava na porta da igreja em todos os cultos porque era uma coisa que ele gostava de fazer, que o deixava feliz”, cita Maria Moura.

Despedida

Valdomiro Nunes tinha problemas pulmonares e no inverno era cometido pela pneumonia. Foram anos convivendo com o problema no pulmão mas neste último inverno a doença se agravou demais e, infelizmente, ele não resistiu. Valdomiro faleceu no dia 31 de julho, 25 dias antes de completar 80 anos. Ele deixou a esposa, Maria Nunes. O casal não teve filhos.

 



Fale com a Redação

14 − 6 =