Em visita recente ao Paraná, a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, adiantou a autoridades, parlamentares e produtores rurais que tem discutido mudanças no seguro rural para aumentar seu valor e reduzir juros.

“Quando estão com a produção segurada, os produtores não perdem o sono nem precisam pedir renegociação de dívida com o pires não”, disse a ministra, informando que tem feito várias reuniões para tratar do assunto com o atual presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, e com Roberto Campos Neto, que deverá sucedê-lo no cargo, além do vice-presidente de Agronegócios do Banco do Brasil, Ivandré Montiel da Silva.

“O seguro rural precisa ter alcance, ser amplo, democrático”, defendeu. Disse ainda que estuda uma forma para que o seguro seja barato.

Em uma conversa realizada semana passada em Apucarana, a ministra observou que está alterando o funcionamento das Câmaras Setoriais do ministério, unificando os temas de interesse para lhes dar mais funcionalidade.

A mesma lógica, informou, funciona no governo na atual gestão, havendo integração entre as pastas para que seja dada solução a assuntos que são comuns. “A orientação do presidente Jair Bolsonaro é para que caminhemos juntos. Isso melhora a governança, a transparência e diminui os custos”, afirmou.