Nova York – Mais de 300 jornais americanos publicaram editoriais em suas edições de quarta-feira defendendo a liberdade de imprensa. A medida é uma resposta ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que qualificou algumas organizações jornalísticas de inimigos do povo americano. Na manhã dessa quinta-feira, o republicano reagiu à ação. "A imprensa das fake news [notícias falsas] é o partido de oposição. É muito ruim para o nosso grande país… Mas estamos ganhando", escreveu ele em sua conta no Twitter.

O Boston Globe liderou o movimento, seguido pelo New York Times e diversos jornais menores, incluindo alguns em estados onde Trump saiu vencedor nas eleições presidenciais de 2016.

O conselho editorial do Boston Globe publicou um artigo acusando Trump de conduzir um “continuado ataque à imprensa livre”. “A grandiosidade dos EUA depende do papel de uma imprensa livre para falar a verdade aos poderosos”, diz o texto. “Afirmar que a imprensa é ‘inimiga do povo’ é não americano e perigoso para o pacto cívico que compartilhamos por mais de dois séculos.”