Santa Helena – Prefeitos, vereadores, presidentes de associações comerciais e secretários participaram nesta semana da assembleia-geral ordinária do Conselho de Desenvolvimento dos Municípios Lindeiros ao Lago de Itaipu. A reunião teve como assuntos principais a apresentação do Projeto Árvores Digitais e a discussão a respeito da implementação de convênio para aquisição de kits destinados às usinas asfálticas móveis, bem como sua operacionalização.

O engenheiro Guilherme Marzolla, responsável pelo desenvolvimento das conhecidas árvores solares, explicou o projeto. A estrutura, em formato de árvore, é dotada de placas fotovoltaicas que captam a energia solar e a disponibiliza para o carregamento de celulares.

Internet grátis

As mesmas “árvores” são equipadas com sistema para a disponibilização de sinal wifi, ou seja, internet sem fio, para até 100 aparelhos, simultaneamente, em forma de link dedicado, ou seja, conexão exclusiva, segundo Guilherme Marzolla. “Cada estrutura é composta por cinco placas fotovoltaicas e baterias que acumulam energia para três dias, e possibilita carregar 16 celulares por vez”, explica.

O projeto é uma parceria do Conselho dos Lindeiros e da Itaipu Binacional, investimento de R$ 854 mil. A instalação ocorrerá em locais públicos à escolha dos gestores municipais, de acordo com a presidente do Conselho de Desenvolvimento dos Municípios Lindeiros, Cleci Loffi.

Asfalto

Outro projeto está relacionado à implementação de convênio para aquisição de kits asfálticos destinados a atender 13 municípios da região lindeira. A previsão é de que haja um investimento de aproximadamente R$ 4,4 milhões. “Duas comissões foram compostas no intuito de alinhar as tratativas”, frisa Cleci Loffi.

Para a compra dos kits a comissão tem como integrantes os municípios de Guaíra, Marechal Cândido Rondon e Mercedes. Outra comissão estuda a operacionalização e aquisição de insumos para usinas asfálticas, composta por Guaíra, Itaipulândia e Santa Helena.

O convênio prevê o asfaltamento de 84 quilômetros de estradas rurais, onde já há calçamento, no período de três anos, nos 13 municípios. Os estudos realizados pelas comissões devem indicar a melhor maneira de desenvolver o projeto.