Há exatamente um ano, o Jeep Compass acelerava forte para assumir, pela primeira vez, a liderança geral de vendas mensais de SUVs no Brasil. Façanha de respeito para um utilitário-esportivo médio em um mercado dominado por modelos compactos, como o também muito bem sucedido Jeep Renegade. E o feito vem se repetindo desde então, com exceção de um mês. Por isso, nos últimos doze meses o Compass acumulou 58.188 emplacamentos, 10 mil a mais do que o segundo colocado.

O sucesso do campeão de vendas da marca que inventou o universo 4×4 é inegável e pode ser confirmado de vários pontos de vista. Levando em consideração apenas este ano, o crescimento nas vendas do Compass foi de 30% em relação ao mesmo período de 2017 (janeiro a agosto). Mais que o dobro da alta do setor de automóveis – 13,4%.

E o mix de vendas do Compass revela dados interessantes. Apesar de a versão de entrada Sport ter excelente custo-benefício, configurações ainda mais bem equipadas e sofisticadas são as preferidas dos compradores. Em primeiro está a versão Longitude Flex, com 40% do total, seguida por Longitude Diesel (20%), Limited Flex (15%), Sport (10%), Limited Diesel (8%) e Trailhawk (7%).

Dividindo por motores, o 2.0 Tigershark Flex representa 65% dos emplacamentos, deixando significativos 35% para o 2.0 MultiJet II Turbo Diesel, cujo exclusivo powertrain é completado pelo câmbio automático de nove marchas e a tração 4×4 Jeep Active Drive Low, com reduzida e o controle Selec-Terrain.

O Jeep Compass foi apresentado ao mundo quase dois anos atrás, no final de setembro de 2016, em Pernambuco, perto de seu berço, o Polo Automotivo Jeep, em Goiana (PE). Suas vendas começaram um mês depois e de lá pra cá, mais de 95 mil unidades já foram registradas no Brasil.