Informe da redação do dia 29 de junho de 2019

Juízes querem 6,3% de aumento

O Tribunal de Justiça do Paraná pede um reajuste de 6,38% nos salários dos cargos comissionados de assistente de juiz – demais servidores do TJ, incluindo aposentados – requerem 4,94%. Caberá aos deputados dar a decisão final sobre o pedido. Para os vencimentos básicos e encargos especiais dos cargos de provimento em comissão de Assistente de Juiz, o reajuste leva em consideração um período sem reajuste. A proposta do TJ, contudo, ainda não tem data para ser analisada pela Assembleia Legislativa. O presidente da Casa, deputado estadual Ademar Traiano (PSDB), declarou que o trâmite de todos os projetos de lei que tratam de reajuste salarial deve ficar “suspenso” por enquanto.

 

Guerra ao EAD

Como esteve na função de secretário de Estado da Saúde, o deputado Michele Caputo (PSDB) também vem comprando uma briga contra as universidades que ofertam EAD (Ensino a Distância). Uma emenda modificativa do projeto em tramitação limita em 20% os conteúdos ofertados na modalidade nos cursos de saúde. “O EAD é um instrumento que ajuda, mas não substitui aulas práticas de laboratório e integração multiprofissional. Temos cursos ofertados com 100% de EAD. Essas distorções precarizam o ensino”, diz Caputo.

 

PDT de Pacheco

O deputado estadual Marcio Pacheco (PDT), pré-candidato a prefeito de Cascavel, confirmou a decisão durante ato político realizado na Câmara. Com mensagem do líder nacional Carlos Pupi, foi oficializada a posse de Pacheco, por indicação, na presidência pedetista em Cascavel. O mandato da executiva anterior, coordenada pelo veterano brizolista Sadi Bodanese, agora o vice do “novo PDT”, venceu e, de forma inédita na história recente da sigla cascavelense, renovou sem eleição direta. Os 1,8 mil filiados não foram às urnas. O ex-secretário de Esportes de Cascavel, Wanderley Faust, busca liminar na Justiça para suspender a posse.

 

Debate da Cettrans

Uma audiência pública é organizada para debater o fim da Cettrans, a Companhia de Engenharia de Transporte e Trânsito, de Cascavel – proposta do prefeito Leonaldo Paranhos (PSC), que argumenta a ação como uma medida econômica. A Comissão Permanente de Segurança e Trânsito do Legislativo municipal propôs o debate para dia 10 de julho, às 19h, para saber da comunidade qual a opinião. Para embasar a discussão, os vereadores requereram uma avalanche de documentos à Prefeitura sobre os custos da implantação da autarquia Transitar, no lugar da empresa pública Cettrans.

 

Voo inaugural

O voo é raso, mas já contará com comemoração. Cascavel vai fazer um ato público para comemorar a decolagem do jato Embraer 195 da Azul nesta segunda-feira, às 15h, ligando Cascavel a Campinas. A capacidade da aeronave é de 118 passageiros. Um pouco antes de o jato chegar, haverá discurso no Aeroporto Municipal, às 14h30.

 

Vereador não entra!

Os vereadores de Cascavel vêm enfrentando dificuldades para desempenhar a função de fiscalizar as obras públicas. Ontem, o presidente da Comissão Permanente da Saúde, Josué de Souza (PTC), deu com a cara nos tapumes da reforma da Unidade de Pronto-Atendimento do Bairro Brasília. Primeiro a construtora alegou que não havia capacete para que o parlamentar entrasse no canteiro de obras, depois, não repassou os projetos em andamento. A situação deverá repercutir na sessão de segunda-feira.

 

Economias nas Câmaras

Enquanto em Cascavel o prefeito Leonaldo Paranhos (PSC) está de olho na economia da Câmara, à espera de um posicionamento do Legislativo municipal, em Foz do Iguaçu a Casa de Leis já soma as economias da atual legislatura: R$ 8,1 milhões nos primeiros dois anos e projeção de outros R$ 5 milhões para esse ano. O legislativo da fronteira implantou medidas, como redução de cargos comissionados, ajuste dos critérios para gratificações e licenças-prêmio, fim do pagamento de horas extras, controle de diárias e corte de telefones celulares para os gabinetes e assessores.

 

 



Fale com a Redação

um × 3 =