Custo Brasil

O Congresso Nacional lançou ontem a Frente Parlamentar Pelo Brasil Competitivo. Presidido pelo deputado federal Alexis Fonteyne (Novo-SP) e composto por mais de 200 parlamentares, entre senadores e deputados, o grupo vai trabalhar para reduzir o Custo Brasil. Entre as prioridades, estão as reformas tributária e administrativa. Na pauta, entram ainda temas como qualificação profissional, segurança jurídica e infraestrutura. O lançamento foi realizado na CNI (Confederação Nacional da Indústria). A estratégia é unir forças para melhorar o ambiente de negócios e permitir que as empresas brasileiras compitam de igual para igual com as concorrentes internacionais. De acordo com estudo do Ministério da Economia em parceria com o Movimento Brasil Competitivo, o Custo Brasil chega a R$ 1,5 trilhão ou 22% do PIB do País.

 

Em silêncio

Com autorização do STF, o empresário Carlos Wizard ficou em silêncio durante oitiva da CPI da Covid ontem. Ele repetiu diversas vezes a resposta ao ser inquirido pelos senadores. Wizard teve direito a um breve discurso inicial, no qual negou fazer parte do chamado “gabinete paralelo”.

 

CPI pega fogo I

Ontem, a comissão aprovou requerimento para ouvir o líder do Governo, Ricardo Barros (PP-PR), acusado de envolvimento na conturbada compra da Covaxin. Ricardo Barros foi ao Twitter dizer que quer ir logo à CPI da Covid: “Espero que a CPI vote hoje meu convite, já que me coloquei à disposição desde a primeira fala de Luis Miranda. E gostaria de ir o quanto antes.”

 

Pega fogo II

O presidente da CPI da Covid, senador Omar Aziz (PSD-AM), confirmou que a comissão ouvirá nesta sexta Luiz Paulo Dominguetti, representante da empresa Davati que disse ter recebido pedido de propina de US$ 1 por dose de vacina da covid-19 a ser comprada pelo Ministério da Saúde.

 

Quem indicou

O ex-deputado federal paranaense Abelardo Lupion (DEM) admitiu ter indicado Roberto Ferreira Dias para o cargo de diretor de Logística do Ministério da Saúde, demitido na noite de segunda após a denúncia de Dominguetti de que Dias teria lhe cobrado propina para a compra de vacina. Lupion diz que recomendou Dias por seu perfil técnico.

 

Pelo Paraná

Roberto Ferreira Dias é funcionário CLT da Cohapar (Companhia Paranaense de Habitação) desde 2012, com salário de R$ 2,5 mil. Ele foi chefe de gabinete e diretor-geral da Secretaria de Infraestrutura e Logística do Paraná de abril a dezembro de 2018 (Governo Cida Borghetti – PP), esposa de Ricardo Barros, quando a Cohapar era ocupada por Abelardo Lupion. De julho de 2018 a julho de 2019, já na gestão Ratinho Junior (PSD), Dias ocupou a cadeira de vice-presidente do Conselho de Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina.

 

Mentiras

Ao discursar em Ponta Porã (MS), o presidente Jair Bolsonaro chamou senadores da CPI da Covid de “bandidos”. “Não conseguem nos atingir; não vai ser com mentiras ou com CPI integrada por sete bandidos que vão nos tirar daqui”, disse. Em seguida, reafirmou o alinhamento político entre o governo e o Congresso: “Nossos amigos do Legislativo têm nos dado grande apoio em todas as propostas que temos apresentado”.

 

 

Superpedido de impeachment

Com 46 assinaturas e 271 páginas, a Câmara recebeu ontem um superpedido de impeachment contra o presidente da República, Jair Bolsonaro. O documento é assinado por deputados da oposição e da centro-direita. O texto foi elaborado pela ABJD (Associação Brasileira de Juristas pela Democracia).