Foz do Iguaçu – As três Regionais da Saúde do oeste do Paraná são responsáveis por 16% de todas as mortes por gripe influenza registradas neste ano no Estado. Agora são 16 óbitos, de um total de 101 em todo o Estado. No oeste está, por sua vez, estão 10% de todos os casos de gripe no Paraná em 2018 aonde foram contabilizados 605 casos. Assim, de 60 diagnósticos positivos para a doença na região e com 16 óbitos, o índice de letalidade da doença no oeste é de três para cada dez infectados.

O boletim, divulgado nesta semana pela Sesa (Secretaria de Estado da Saúde), revela que a regional com maior número de mortes e de registros de influenza é a 9ª de Foz do Iguaçu. São 39 diagnósticos positivos da doença, seis a mais do que no boletim da semana passada, sendo 14 por H1N1, duas delas evoluíram para a morte, 20 registros de H3N2 com índice de mortalidade de quase 50%, uma vez que do total de doentes na Regional de Foz, nove morreram, e cinco casos de influenza B, sem nenhum óbito.

A 10ª Regional de Saúde de Cascavel registrou neste ano 18 casos de influenza e quatro deles foram a óbito. Sete diagnósticos positivos para a doença são de H1N1, duas dessas pessoas morreram, dez casos foram de H3N2 também com duas mortes e um caso de Influenza B sem óbitos. Assim, a regional contabilizou, desde o dia 1º de janeiro até o dia 5 de setembro, 18 casos e cinco mortes.

Na 20ª Regional de Saúde de Toledo houve registro de dois casos de H1N1 sem mortes, um caso de H3N2 que o paciente morreu, contabilizando assim três registros de influenza com uma morte.