Ibovespa bate recorde e dólar recua com votação de reforma

O dólar teve recuo de 0,77%

São Paulo – O otimismo do mercado financeiro com o avanço da tramitação da reforma da Previdência na Câmara dos Deputados levou o Ibovespa, principal índice da B3, a Bolsa de São Paulo, a um novo recorde nessa quarta-feira. Durante o dia, o índice chegou aos 106.650,12 pontos e fechou o pregão com alta de 1,25%, aos 105.817,06 pontos. O Ibovespa fechou pela quinta vez seguida em alta, renovando o nível recorde.

O dólar teve recuo de 0,77%, cotado a R$ 3,7568, na menor cotação desde 28 de fevereiro. Esse resultado foi influenciado também pela perspectiva de queda nos juros dos Estados Unidos ainda neste mês.

A expectativa dos investidores é de que, uma vez aprovada a proposta que muda as regras de aposentadoria, o governo lance medidas para destravar a economia, assim como o Banco Central inicie o ciclo de afrouxamento monetário, o que tornaria a Bolsa brasileira mais atrativa.

Inflação oficial

A inflação oficial, medida pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), ficou em 0,01% em junho deste ano.

Ela é inferior ao 0,13% de maio e ao 1,26% de junho do ano passado. É o menor percentual mensal desde novembro de 2018 (-0,21%).

Segundo dados divulgados ontem (10), no Rio de Janeiro, pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o IPCA acumula inflação de 2,23% no ano e de 3,37% em 12 meses.

As deflações (quedas de preços) de 0,25% dos alimentos e de 0,31% dos transportes foram os principais responsáveis por conter o IPCA em junho.

Por outro lado, o aumento de 0,64% no custo de saúde e cuidados pessoais foi o que mais contribuiu para que o IPCA não fosse negativo em junho.

 



Fale com a Redação

11 − dez =