Cascavel – Referência para atendimento de vítimas de abuso sexual, o HUOP (Hospital Universitário do Oeste do Paraná) define mudanças no fluxo dessas vítimas no IML (Instituto Médico Legal). Nessa segunda-feira (19), o diretor do IML do Paraná, André Ribeiro Langowski, participou de uma reunião no hospital para definir o novo fluxo.

O objetivo é tornar o atendimento mais humanizado, necessitando, assim, da locomoção para apenas um único local referenciado. Hoje, após o registro do boletim de ocorrência na delegacia, a vítima é encaminhada para exames no IML e somente então ao hospital, para atendimento clínico. “Com essa mudança, em vez de ter o encaminhamento ao IML, os médicos legistas farão os exames no HUOP, onde essa pessoa receberá também o atendimento clínico necessário, assim como os medicamentos”, explica o assessor técnico da Direção Clínica, médico Sérgio Nascimento Pereira.

O médico ressalta que outros hospitais do Paraná já realizaram mudança nesse fluxo para que o atendimento se torne mais humanizado. “Sabemos que a cada depoimento a vítima revive essa dor, e o objetivo é minimizar isso, e, ainda, garantir esse atendimento especializado conforme necessário”, ressalta.

O HUOP disponibiliza todos os medicamentos necessários e realiza a interrupção de gravidez, em casos de estupro.