Curitiba – A Secretaria de Estado da Saúde confirmou na quinta-feira (4) uma morte por picada de escorpião na região do Norte Pioneiro. Um morador de Wenceslau Braz foi picado na mão esquerda por um escorpião amarelo, cujo veneno é um dos mais potentes entre as espécies que ocorrem no Paraná. A situação reforça a orientação da saúde para que a população redobre os cuidados para evitar acidentes, principalmente em épocas de chuva e calor.

“O paciente foi atendido no Município e transportado para Jacarezinho pelo Samu, onde recebeu o soro antiveneno. Apesar de toda assistência prestada, a evolução do caso não foi satisfatória, o que reforça a necessidade de atitudes preventivas para evitar acidentes fatais”, disse o secretário de Estado da Saúde, Antônio Carlo Nardi.

Nos acidentes com animais peçonhentos, como picadas de escorpiões, aranhas e serpentes, é essencial procurar assistência médica rapidamente. O governo do Estado mantém em Curitiba o CCE (Centro de Controle de Envenenamentos do Paraná) para orientar a população e profissionais de saúde sobre os encaminhamentos quando necessário. O serviço tem atendimento 24 horas pelo telefone 0800 410 148.

“A agilidade em administrar o soro antiveneno em acidentes com peçonhentos pode fazer a diferença entre a vida e a morte. A orientação fornecida por telefone auxilia na identificação da gravidade do caso e indica o melhor encaminhamento”, explica o chefe da Divisão de Vigilância em Zoonoses e Intoxicações, Francisco Gazola.

Em 2017 foram registrados no Paraná mais de 17 mil acidentes com animais peçonhentos, sendo 2.396 por picada de escorpião com três óbitos. Em 2018, entre janeiro e outubro, o Estado contabilizou mais de 11 mil acidentes com peçonhentos, sendo que as picadas de escorpiões somaram 1.879 casos, com a confirmação de dois óbitos.