O governo federal anunciou nesta segunda-feira (5) a prorrogação do auxílio emergencial 2021 por mais três meses. O auxílio é destinado a famílias de baixa renda afetada pela pandemia de Covid-19.

A extensão ocorre por decreto, que abre crédito extraordinário ao Ministério da Cidadania, responsável pela concessão do benefício.

Após essa fase, o governo pretende lançar o novo Bolsa Família, com novo nome e valor que Bolsonaro estipulou em “cerca de R$ 300”.

A nova edição do auxílio deverá ser concedida nas mesmas faixas atuais: de R$ 150 a R$ 375, mas os valores ainda não foram anunciados. Hoje, mulheres chefes de família monoparental têm direito a R$ 375, e indivíduos que moram sozinhos (ou seja, família unipessoal) recebem apenas R$ 150 mensais. Outros beneficiários recebem R$ 250.

O auxílio também deverá seguir sendo pago a uma pessoa por família. Anteriormente, dois membros de um mesmo grupo familiar podiam se beneficiar, segundo legislação publicada pelo governo em abril.

As primeiras edições do auxílio tinham um valor superior, de R$ 600, podendo chegar a até R$ 1.200.

Fonte: Metrópoles