Suplente milionário

Beto Richa, candidato ao Senado pelo PSDB, ficou mais pobre desde 2014, quando foi eleito governador do Paraná. Nesta nova disputa ele declarou à Justiça Eleitoral R$ 708 mil a menos nas contas e mantém fortuna de R$ 4,8 milhões. Mas dinheiro na chapa não é problema, visto as contas do seu suplente ao cargo de senador, Nelson Padovani (PSDB), que declarou a bagatela de R$ 54 milhões. Nas eleições de 2014, a deputado federal, Padovani havia declarado R$ 15 milhões. Ou seja, crescimento de 260% em quatro anos. Vale ainda incluir a segunda suplente de Richa, Maria Iraclesia (PSDB), que tem R$ 1,5 milhão declarados – incluindo uma aeronave de R$ 300 mil.

Caçambeiros

A sessão da Câmara de Vereadores promete ferver hoje: o pedido de investigação contra o vereador Fernando Hallberg (PPL) sobre infração político administrativa. Se aceito, o plenário votará então pelo prosseguimento da denúncia.

Oposição

A postura firme e polêmica na Câmara – incluindo desavenças com alguns parlamentares – tende a ser uma caçamba de entulho no caminho de Hallberg. Nos bastidores, contam-se nos dedos de uma mão quem estaria ao lado do parlamentar. Seja ele inocente ou não.

Protesto

Nos últimos dias circularam pelos grupos de WhatsApp mensagens convocando os caçambeiros para lotarem a Câmara hoje de manhã, levando inclusive caminhões até o prédio. O áudio incita o protesto para pressionar os vereadores a cassarem o mandato de Hallberg.

Vetou

O prefeito Leonaldo Paranhos (PSC) vetou a prorrogação de dez anos a concessão de uso de área urbana a Sociedade Esportiva e Cultural São Cristóvão. Uma questão apontada é que a Câmara precisa da bênção do Concidade para tal: difícil após declarações conflitantes ao grupo de engenheiros e arquitetos.

Protesto

Nos últimos dias circularam pelos grupos de WhatsApp mensagens convocando os caçambeiros para lotarem a Câmara hoje de manhã, levando inclusive caminhões até o prédio. O áudio incita o protesto para pressionar os vereadores a cassarem o mandato de Hallberg.

Multas EstaR

O vereador Roberto Parra (MDB) insiste no projeto que pede repasse em crédito de 50% das multas do Estacionamento Regulamentado aos motoristas notificados, no momento do pagamento – além disso, isenção aos motoristas idosos do pagamento.

*Alécio Espínola quer denominar "Dona Idalina Tavares Barreiros" o Restaurante Popular projetado para o Bairro Santa Cruz.

*A Câmara requer R$ 410 mil de créditos para reformas do prédio e justifica que estavam previstos R$ 3,5 milhões na LDO.