Você sabe o que são fundos de ações? Essa modalidade de investimento em renda variável pode gerar altos lucros, porém também envolve riscos relativamente elevados. 

Diante disso, será que vale a pena aplicar seu dinheiro nessas transações? E para quem não tem conhecimento na bolsa de valores, o risco da aplicação torna-se maior?

Todas essas perguntas aparecem de forma constante na mente de quem deseja diversificar os investimentos que possui e escuta falar dos fundos de ações. Então, para ajudá-lo a entender melhor todas essas questões, criamos o artigo de hoje.

Ao longo do texto, vamos explicar de forma detalhada tudo o que você precisa saber 

Como funcionam?

Quem aplica dinheiro em fundos de ações compra uma cota de participação em uma determinada carteira de investimentos, portanto esse dinheiro é administrado por profissionais capacitados na área de finanças e que vão direcionar o capital para diferentes ativos de renda variável.

Sendo assim, seu dinheiro pode ser destinado para a aquisição de ações na bolsa, para compra de certificados de depósito de ações, para compra de fundos de índices de ações, para recibos de subscrição etc.

Qual o papel do administrador?

O administrador em um fundo tem papel essencial em todas as transações realizadas. Isso porque é ele que vai cuidar do dinheiro de cada investidor, incluindo do seu que está lendo este texto.

É o administrador, com base no conhecimento de mercado que possui, que irá definir quais os ativos mais vantajosos para aplicar e quando será a melhor hora de vender cada um desses ativos. Assim, ele irá gerenciar o capital para maximizar a rentabilidade do investidor.

Quais são os tipos?

Existem diversos fundos de ações no mercado e cada um deles podem ser divididos em diferentes categorias.

De acordo com o tipo de gestão

Os fundos podem ter uma gestão ativa, o que significa que o objetivo do administrador é superar a taxa de rentabilidade de um índice de referência ou até mesmo não seguir um índice referencial.

Também podem ter uma gestão passiva, o que quer dizer que  a rentabilidade da aplicação vai seguir o comportamento de um índice de referência variável, como a Bovespa ou o Small Caps.

De acordo com a estratégia

A divisão relacionada com a estratégia informa qual o estilo de aplicação que o gestor do fundo possui.

  • Valor: O seu capital tende a ser aplicado em ativos que possuem uma boa perspectiva de crescimento ao longo do tempo.
  • Setorial: Aqui, os ativos comprados pelo administrador tendem a ser de um mesmo setor ou de setores interligados entre si.
  • Dividendo: Neste caso, o gestor vai investir capital em empresas que possuam bons históricos de pagamento, pois a estratégia é focada na geração de renda.
  • Small Caps: Neste tipo de estratégia, 85% dos ativos da carteira do fundo de ação são emitidos por empresas fora do índice IBRx, e os restantes destinados a ações de companhias com maior capitalização.
  • Governança: A estratégia do gestor, neste caso, é investir nas ações de empresas que tenham uma gestão sólida e iniciativas voltadas para a responsabilidade social dentro do negócio.
  • Índice ativo: Aqui, as carteiras seguem um índice como referencial de desempenho.
  • Livre: Os fundos classificados em livre são aqueles sem uma estratégia definida, que varia de acordo com a situação econômica geral. Existe apenas um regulamento que aponta direcionamentos em nível geral.

Fundos de ações específicos

Os fundos específicos são aqueles que fogem do regulamento base utilizado por outros fundos de ações. Eles, ainda, podem ser divididos em fundos fechados, que não estão disponíveis para compra no mercado financeiro, e de mono ação, que são voltados para o investimento em ativos de apenas uma empresa.

Quais as vantagens desse tipo de investimento?

Podemos listar como principais vantagens de um fundo de ações a rentabilidade que eles possuem, bem acima de outras modalidades de aplicações, e a gestão feita por um profissional especializado. 

Isto garante a você maior segurança na hora de aplicar na bolsa de valores, assim como saber quando vale a pena recorrer a algum recurso extra, como um empréstimo com garantia, por exemplo.

Quais os riscos da modalidade e como se proteger?

Junto com os benefícios também existem os riscos. No caso dos fundos de ações, o risco de mercado é o principal deles. Isso significa que dependendo do cenário econômico e político local, nacional ou mundial, os preços dos ativos podem variar muito. Desse modo, é possível ter um grande lucro ou um prejuízo inesperado.

Para evitar perdas significativas, os administradores tendem a diversificar o máximo possível as aplicações realizadas.

Quando não aplicar em fundos de ações?

Caso você busque um investimento para construir uma reserva de emergência ou fazer uma espécie de previdência privada, os fundos de ações não são a melhor escolha. Isso por causa da volatilidade que apresentam.

Também não vale a pena o investimento quando você possui pouco capital disponível para aplicar. O motivo é que caso ocorra uma variação significativa no mercado, é possível perder grande parte do valor que possuía.

Como deu para perceber, os fundos de ações têm benefícios e riscos. Portanto, é muito importante ficar atento a todos os detalhes que envolvem essa modalidade de investimento. 

Pesquise bastante antes de aplicar seu dinheiro, e caso pretenda recorrer a algum tipo de crédito, como um empréstimo com garantia de imóvel, analise bem as condições e só faça isso quando tiver o capital extra destinado a esse tipo de movimentação for realmente vantajoso.