A Fundação Cultural e o Centro Universitário UniAmérica deram início a um levantamento sobre a criação de uma Casa de Memória em Foz do Iguaçu e a importância de um espaço como este para a sociedade. Os questionários, disponíveis nas redes sociais, auxiliarão as instituições na criação do local.

A proposta é restaurar um prédio, localizado na Avenida JK, e transformá-lo em um centro de memória, reunindo registros visuais, sonoros, bibliográficos e documentais relativos à história, à identidade e à produção histórica e cultural do município.

“Essa ação integrada envolve também uma recém-criada comissão de preservação do patrimônio do município e o Conselho Municipal de Patrimônio Cultural. Além de valorizar a memória e o patrimônio da cidade, queremos envolver a comunidade com uma política de educação patrimonial e turismo cultural”, explicou o diretor presidente da Fundação Cultural, Juca Rodrigues.

O primeiro passo para a criação da Casa de Memória de Foz do Iguaçu é a restauração do prédio e a definição das equipes que atuarão no setor técnico, além de concentrar e catalogar o material histórico. “Estamos nessas tratativas de doação do prédio para a Fundação Cultural, estudos para a restauração do imóvel e, paralelamente, a criação de um departamento de patrimônio e a organização de um cronograma de trabalho para outras demandas, como inventário do patrimônio histórico, educação e formação patrimonial”, adiantou a responsável pelo Patrimônio Histórico, Vera Vieira.

Os estudos para a construção de um inventário do município estão baseados na Lei do Patrimônio 4470/2016.

Parceria

A UniAmérica é parceira da Fundação Cultural e está desenvolvendo o projeto de revitalização do prédio. “Neste primeiro momento foi feito o levantamento de todas as medidas da edificação e lançado um questionário para a população, com o objetivo de colher ideias e diagnosticar a importância que a sociedade dá para a Casa da Memória. Até o final deste semestre os alunos irão entregar uma proposição de uso do espaço. O grande desafio, que contará com consultoria externa, é diagnosticar o custo para a restauração do prédio”, explicou o professor e coordenador do curso de Arquitetura e Urbanismo, Alexandre Balthazar.

A Casa de Memória contará com escritórios; espaços para exposições; área de convivência externa; local para apresentações artísticas, como música, dança, teatro, literatura e intervenções com os visitantes; e uma área destinada à pesquisa e educação patrimonial. A definição destes espaços e suas utilizações depende do resultado das pesquisas em andamento.

Pesquisa

O questionário do trabalho de investigação e pesquisa realizado pela Uniamérica e Fundação Cultural de Foz do Iguaçu sobre a criação de um espaço de memória está disponível no link: https://forms.gle/v6RdUMQZs6WXRCQJ7. O link do questionário específico para a Fundação Cultural de Foz: https://forms.gle/RttDECdrKvHfin8i6.