O declínio acentuado das temperaturas no início desta semana, em todas as regiões do Paraná, segundo informações do Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná (Simepar), devido ao deslocamento de uma forte massa de ar polar, pode levar ao rompimento dos equipamentos que fazem a medição do consumo de água, os hidrômetros. A Sanepar alerta os clientes a adotarem cuidados para evitar que o “relógio” seja danificado.

Isso ocorre porque as baixas temperaturas favorecem o congelamento da água dentro da tubulação. Além de transtornos para a Sanepar, que precisa substituir os hidrômetros, também o cliente é prejudicado, podendo ter problemas com vazamentos e ficar sem água até que o equipamento seja trocado.

A proteção do hidrômetro pode ser feita com caixa de papelão, plástico, lona ou madeira. Podem ser usados outros tipos de materiais que impeçam o acúmulo de gelo sobre o hidrômetro e o encanamento, desde que não fiquem em contato direto com a estrutura. O material deve ser de fácil remoção para que o leiturista faça a medição do consumo.

O Simepar prevê temperaturas negativas nas Regiões Oeste, Sudoeste Sul, Centro e Sul dos Campos Gerais com ocorrência de geadas moderadas a fortes. O ar frio também será rigoroso no setor norte do Paraná, divisa com São Paulo com formação de geadas. Na Região Metropolitana de Curitiba, as temperaturas mínimas ficam muito próximas de 0,0 °C com umidade elevada.

Nesta segunda-feira (28), chove em praticamente todas as regiões, com intensidade fraca e moderada. O Simepar indica que, a partir do anoitecer, a tendência é de queda mais acentuada das temperaturas, com ênfase para as porções mais ao sul e oeste do Estado.

A partir de terça-feira, deve haver uma gradual diminuição da condição de chuva sobre o Paraná, estabelecendo-se uma forte massa de ar seco nos três estados do Sul. A previsão é que nas primeiras horas da manhã desta terça a temperatura fique gelada, propiciando a formação de geadas em várias cidades paranaenses.