Curitiba – Em função do período eleitoral com o propósito de evitar interrupção dos serviços públicos, a governadora Cida Borghetti (PP) fez uma recomendação diferente: uma espécie de cautela na liberação de férias aos servidores públicos do Estado.

Com isso, os secretários de Estado e os titulares de entidades ligados à administração pública direta terão que encaminhar mensalmente à Casa Civil documento contendo a relação dos servidores que solicitaram, e vierem a solicitar, férias regulamentares e saldo de férias para fruição a partir de 1º de agosto até 31 de dezembro de 2018.

O chefe da Casca Civil, Dilceu Sperafico, garante que essa é uma medida preventiva, “para assim evitar que servidores possam deixar alguma secretaria sem efetivo adequado. Assim, as férias normais serão garantidas”, ou seja, apenas as que são obrigatórias neste momento de campanha eleitoral.

O decreto publicado em Diário Oficial aponta ainda que a relação dos servidores será encaminhada posteriormente à Secretaria de Estado da Fazenda para a programação orçamentária. A medida vale tanto para cargos efetivos quanto os comissionados.