Rio de Janeiro – A estiagem no País voltou a reduzir a perspectiva para a safra agrícola deste ano. A produção nacional de grãos deve totalizar um recorde de 262,8 milhões de toneladas em 2021, 8,6 milhões de toneladas a mais que o desempenho do ano anterior, um crescimento de 3,4%, de acordo com o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola de maio, divulgado nessa quinta-feira (10), pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

No entanto, em relação ao levantamento de abril, houve recuo de 0,6% na estimativa, o equivalente a 1,7 milhão de toneladas a menos.

Em 2021, a produção da soja deve crescer 9,4% ante 2020, totalizando um recorde de 132,9 milhões de toneladas.

Quanto ao milho, a expectativa é de recuo de 3,9% na produção, devido à redução de 2,8% no milho de primeira safra, além de queda de 4,3% no milho de segunda safra. A produção total de milho será de 99,2 milhões de toneladas em 2021.

Por outro lado, parte da perda foi compensada pela melhora em maio nas estimativas para a soja (mais 982,5 mil toneladas em relação à estimativa de abril), trigo (mais 527 mil toneladas) e arroz (mais 270 mil toneladas).