Estudantes se destacam com pesquisa e inovação

Sistema Fiep estimula a pesquisa com matérias focadas na ciência e no empreendedorismo

Um substituto para o isopor desenvolvido com sabugo de milho; um aparelho que diminui o gasto de água de máquinas de lavar em 25% e um aplicativo que estimula a prática de esportes. Esses e outros projetos inovadores foram desenvolvidos por alunos do Colégio Sesi no Paraná. “No Sesi, procuramos desenvolver estudantes para que sejam autônomos, colaborativos, pesquisadores, inovadores, críticos e pró-ativos. Assim, estarão preparados para atuar nas diferentes esferas sociais e na indústria 4.0”, analisa Fabiane Franciscone, gerente de educação básica e continuada do Sistema Fiep.

As alunas da unidade Sesi Campo Largo, Amanda de Souza Maloste e Jessica Cristina Burda, que desenvolveram o trabalho “Samis: uso do sabugo de milho para substituição do poliestireno – fase II”, estiveram em Phoenix, no Arizona (EUA), para apresentar seu projeto no evento Intel Isef (International Science and Engineering Fair). “Nossa ideia surgiu em uma Olimpíada de Ciências. Fomos incentivadas a criar uma tecnologia utilizando o alimento mais produzido na nossa região”, conta Jessica. “Seguimos com a iniciação científica dentro do colégio. No Sesi, produzir ciência e inovação é sempre incentivado, além de nos apoiarem na participação em feiras nacionais e internacionais”, completa Amanda.

Enquanto isso, no Sesi de Ponta Grossa, as estudantes Eduarda Barbosa Weber, Fernanda Carneiro de Oliveira e Isabela Matozo, desenvolveram o trabalho “Adaptação do carneiro hidráulico na máquina de lavar”. Durante a Feira Paranaense de Ciência e Tecnologia 2019, conquistaram uma bolsa de estudos do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) para desenvolverem seus projetos durante um ano. A mesma unidade conquistou, também no evento, o segundo lugar na categoria Ciência e Tecnologia, com o QR BALL, aplicativo que leva ao público informações sobre as regras e principais características de cada esporte, por meio de QR Codes inseridos em bolas esportivas.

“Acreditamos que, cada vez mais, precisamos desenvolver alunos preparados para atuar na sociedade de forma a torná-la mais sustentável nos aspectos econômicos, sociais e ambientais. Para isso, a produção científica é fator determinante na construção de concepções, tecnologias e soluções necessárias para o desenvolvimento humano e social”, explica Fabiane.

São 45 unidades do Colégio Sesi, além das seis unidades internacionais que aliam toda a prática inovadora das nossas aulas ao aprendizado da cultura e idiomas. As transferências para matrículas no segundo semestre de 2019 estão abertas até o fim de julho. As aulas estão previstas para começar no dia 22 de julho. As matrículas devem ser feitas presencialmente nas secretarias. Para mais informações, acesse o site colegiosesi.com.br ou entre em contato pelo telefone 0800 648 0088.



Fale com a Redação

1 × 2 =