COTIDIANO

Empregos têm o melhor saldo dos últimos seis anos

29 de dezembro de 2017 às 05:11
Publicidade

Medianeira – Depois de um ano de 2016 esmagado pela crise econômica e com o desemprego em alta, o fim de 2017 se consolida como um período de recuperação. O sinal mais evidente está no retorno da geração formal de empregos e em setores que puxam esse avanço econômico.

Os dados do Caged (Cadastro geral de Empregados e Desempregados) divulgados nesta semana revelam que as seis maiores cidades da região analisadas pelo Ministério do Trabalho – Assis Chateaubriand, Cascavel, Foz do Iguaçu, Marechal Cândido Rondon, Medianeira e Toledo – fecharam o ciclo – de janeiro a novembro – com a criação de 5.302 postos formais de trabalho, desempenho que se desenha como o melhor dos últimos seis anos.

Para se ter ideia, no mesmo período do ano passado haviam sido criadas apenas 69 novas oportunidades, considerando que na maioria dos municípios houve mais demissões do que contratações, a exemplo do que também havia ocorrido nos anos de 2015 e 2014.

Por setores

Em 2017, a indústria foi responsável por 46% das novas vagas criadas, seguida pelo setor de serviços que somou outros 41%. “Pegando uma vertente mais econômica, os indicadores apontam que estamos iniciando a saída desta crise que dura três anos. O Paraná e o oeste, especialmente, estão focados no agronegócio e isso nos dá uma condição favorável, contribuindo para a retomada do crescimento a consolidação do setor”, avalia o presidente da Caciopar (Coordenadoria das Associações Comerciais e Empresariais do Oeste do Paraná,), Leoveraldo Curtarelli de Oliveira.

Dentre outros fatores que estão aliados a esse cenário mais favorável, Leoveraldo lembra que cinco das dez maiores cooperativas do Brasil estão na região oeste do Paraná.

E por falar em cooperativismo, dois dos seis municípios analisados pelo Caged e que têm grandes cooperativas lideraram o ranking da empregabilidade em 2017. Cascavel foi onde mais se criaram oportunidades de trabalho neste ano: 1.948 vagas além das existentes, seguidas por Medianeira, com 1.080 novas contratações. “A expectativa para os próximos cinco anos é para que essas cooperativas do oeste dobrem de tamanho. Para um cenário macroeconômico, isso é muito positivo”, reforçou.

Por outro lado, este caminho da consolidação ainda tem alguns percalços que não podem ser ignorados. “Ainda temos alguns aspectos negativos. Estamos numa crise política, teremos eleições em 2018 em um cenário conturbado. Isso gera algumas dúvidas no processo de retomada, mas acredito muito que 2018 será melhor que em 2017”, diz o presidente da Caciopar.

Em novembro

Diferente do cenário nacional, onde no mês passado foram registradas mais demissões do que contratações, no oeste a situação é inversa. Em novembro de 2016 a região havia criado 183 novas oportunidades de trabalho. Em novembro de 2017 foram 525, crescimento de 187%.

Também diferente do comportamento do Brasil como um todo, onde a indústria mais demitiu do que contratou, o setor foi o segundo que mais gerou efetivações na região com 223 efetivações. O setor que mais empregou no oeste mês passado foi o de serviços, com 283 novas carteiras assinadas. O comércio, setor que mais contratou em novembro no cenário nacional, foi o terceiro maior empregador no oeste no mês passado com 162 novas oportunidades.

Participe do nosso grupo no WhatsApp

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE