Foz do Iguaçu – Com o segundo mês seguido de mais contratações que demissões de trabalhadores com carteira assinada, julho fechou positivo e ajudou a reduzir as perdas acumuladas no ano. No mês passado foram contratados 10.901 empregados e dispensados 10.282, deixando saldo de 619 vagas abertas. Os dados são do Novo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), divulgados nessa sexta-feira (21).

Após três meses de resultado negativo, junho também havia fechado no azul, com a contratação de 937 trabalhadores. Contudo, no ano, o acumulado ainda é negativo: -757, resultado da crise gerada pela pandemia do novo coronavírus. Se considerado apenas o período de pandemia (março-julho), foram fechados 6.965 postos de trabalho em toda a região oeste, com destaque para Foz do Iguaçu (-7.012) e Cascavel (-2.233).

Inclusive, Foz é a cidade mais atingida em toda a região. Em julho, o Município registrou o quinto resultado seguido negativo e, no ano, acumula a perda de 6.610 empregos. Além da Terra das Cataratas, na região outros 20 municípios mantêm saldo negativo no oeste.

Por outro lado, há destaques positivos, como Matelândia, que já gerou 1.962 empregos com carteira assinada neste ano, dos quais 1.734 em plena pandemia. Outros com saldos expressivos são Toledo (+1.260), Pato Bragado (+767) e Cafelândia (+680).

Estadual

Com a geração de 8.833 novos empregos em julho, o Paraná reduziu seu saldo negativo no ano para 39.379 postos fechados, dos quais 86.031 apenas durante a pandemia.

Esse também é o segundo resultado positivo no Estado, e o terceiro maior, atrás de fevereiro (28.720) e janeiro (17.932).

Entre todas as unidades federativas, o Paraná foi o quarto estado que mais criou vagas de trabalho em julho, atrás apenas de Santa Catarina (+10.044), Minas Gerais (+15.843) e São Paulo (+22.967).

Considerando os cinco grandes grupamentos pesquisados (agropecuária, comércio, construção, indústria e serviço), apenas um deles teve retração no último mês: o de serviços, que contratou 26.427 pessoas e demitiu 27.797, com saldo de -1.370.

Por outro lado, a indústria teve grande destaque, com a abertura de 6.560 postos de trabalho, seguida pela construção, com 2.003.