A inauguração das obras do Ecoponto Manaus na manhã dessa quinta-feira (25) consolida a rede de valorização de resíduos em Cascavel. Agora, são seis unidades espalhadas em todas as regiões da cidade com o propósito de estimular a consciência ambiental nos moradores. A estrutura de três mil metros quadrados foi totalmente revitalizada numa parceria que envolveu o Município de Cascavel e a Itaipu Binacional.

O prefeito Leonaldo Paranhos lembrou que o sexto ecoponto tem um fator a mais que é a parte educacional. “As crianças vão passar aqui para ter contato com o lixo que sai lá da casa dela. Vão entender que o lixo tem que ter destinação, tem valor e ajuda na vida das pessoas.

Paranhos destaca que a Rede Sustentar foi desenhada para, além de tirar o impacto ambiental, transformar o lixo em renda às famílias e, consequentemente, ter uma cidade organizada ambientalmente e sustentável na distribuição de renda aos catadores. “Além de tirar o impacto ambiental se transforma em renda para essas famílias. Ainda não atingimos o nível que queremos de ganho para essas pessoas, então paralelamente aquilo que estamos fazendo, a Secretaria de Assistência Social faz o repasse através do Cartão Promover”, afirma o prefeito.

O secretário de Meio Ambiente, Nei Haveroth, destaca que o espaço tem capacidade para fazer a triagem de 200 toneladas de materiais ao mês e consolida um processo inovador. “Aqui é um centro de educação ambiental junto com uma usina de triagem. Também haverá espaço para uma oficina social de recuperação de móveis, em parceria com entidades, e um espaço de visitação para mostrar às pessoas o conhecimento de todo o processo, desde a chegada do material, a separação dos resíduos e para onde eles são encaminhados”, explica.

Ailton Lima, diretor da Secretaria de Meio Ambiente, explica que o espaço cumprirá uma função social ao garantir que o lixo deixe de poluir o meio ambiente e, ao mesmo tempo, gere rendas aos cooperados. Além disso, no espaço funcionará a Divisão de Educação Ambiental e Divisão de Resíduos Sólidos para trabalhar no local teoria e prática. “A intenção é fazer com que aquilo que as nossas crianças aprendem lá na escola e nos Cmeis possam ser visto na prática aqui, no processo de separação junto aos nossos cooperados”, enfatiza.

A agente ecológica Maria José dos Santos trabalha atualmente no Ecoponto Santa Cruz e foi prestigiar a inauguração da unidade da Manaus. Ela conta que trabalhou no local antes da revitalização, quando a unidade era conhecida como Ecolixo, e ficou encantada com a nova estrutura. “Maravilhoso, ficou muito lindo. Já trabalhei aqui, gostava muito, só que a gente tem que mudar cada um para o seu setor…Não estou nem acreditando no que estou vendo”, disse impressionada com a unidade.

Quem também ficou maravilhado com a estrutura foi o agente ecológico Claudinei Lima de Farias. “Ficou show de bola, muito bonito, a estrutura, os equipamentos. Estão de parabéns a Itaipu e o prefeito, todo mundo que estão colaborando com os ecopontos”, destacou.

 

Estrutura

A Unidade de Valorização de Resíduos e Centro de Educação Ambiental, conta com uma área de 3 mil m² que foi totalmente revitalizada, em um investimento de R$ 1.450.000,00. O Ecoponto Manaus possui uma estrutura totalmente equipada para o trabalho de triagem dos materiais, agregando valor e gerando renda aos cooperados

Na parte operacional, a unidade conta com esteira de elevação de resíduos, esteira de triagem, esteira de rejeitos, mesa de triagem, prensa enfardadeira horizontal, balança eletrônica, empilhadeira, palheteira, caçambas estacionárias, carrinhos de movimentação de bigbags  e fardos e  triturador de vidros equipado com esteira de elevação.

O espaço conta com cozinha e refeitório, sala multuncional para formação de educadores ambientais, formação de cooperados, treinamentos, palestras, oficinas e reuniões.

O Ecoponto Manaus também contará com a Oficina Social, em que buscará parcerias com instituições de ensino públicas e privadas, Órgãos Ambientais, empresas privadas, ONG´s e profissionais liberais para  recuperação e reutilização de móveis e eletroeletrônicos descartados pela população.

(Secom)