Inaugurado há um mês o Ecoponto do Santa Cruz em Cascavel está em plena atividade. No local trabalham 37 agentes da cooperativa Cootacar que já reciclaram 56 toneladas de materiais nesses primeiros dias de coleta.

Conforme o gestor da cooperativa, Jonatas Barreto, esse primeiro balanço ainda não reflete todo o potencial do Ecoponto, isso porque, os primeiros 15 dias foram de mudança para a nova sede e treinamento com os catadores. A expectativa é que após esse período de adaptação os números da reciclagem aumentem significativamente. A coleta já foi ampliada, chegando aos bairros Siena e Veneza e na área rural. “A gente acredita que o resultado será mais positivo que o valor que os catadores tiravam de rendimento no Ecolixo. Porém, ainda é um mês adaptativo, mas logo a Cooperativa estará mais engrenada”, pontua Jonatas.

O Ecoponto foi criado com o objetivo de formalizar o segmento dos catadores e também de criar uma rede descentralizada de reciclagem em Cascavel. A estrutura de mais de 520 metros quadrados é ideal, para que os agentes consigam desempenhar seu trabalho com maestria e em prol do meio ambiente, uma vez que a Linha de Triagem tem capacidade de reciclar diariamente até 4 toneladas de resíduos.

O novo Ecoponto conta área operacional equipada com esteira de elevação de resíduos, esteira de triagem, esteira de rejeitos, mesa de triagem, prensa enfardadeira horizontal, paleteira, balança eletrônica, caçambas estacionárias e carrinhos de movimentação de big bags e fardos.

Toda essa estrutura foi aprovada pelos catadores, afirma Jonatas. “Melhorou bastante, primeiro porque recebemos empilhadeira do Município e equipamentos novos. Já o sistema de elevação da esteira facilita bastante a questão do processamento do material, então, agiliza um pouco mais. O resultado é positivo; a mudança para o Ecoponto é positiva. Além disso, há os outros anexos, como refeitório, banheiros, vestiário, essas áreas que ajudam muito na questão do suporte operacional para os catadores”, avalia.

O investimento é de R$ 870.065,56 e 90% desse valor foi custeado pela Itaipu Binacional com 10% de contrapartida por parte do Município.

A unidade recebe os resíduos oriundos da coleta seletiva municipal. O material é triado, enfardado e, posteriormente, comercializado pelos catadores da Cootacar. Esse não é o único Ecoponto de Cascavel, uma vez que serão instalados também nos bairros Cascavel Velho, Quebec, Melissa e no Brasília, além do Ecoponto da Manaus, no Centro, que, futuramente, também será utilizado como Ecoponto Educativo para ensinar as crianças a importância da reciclagem.