São Paulo – O ambiente externo benigno para ativos de risco na maior parte da sessão dessa segunda-feira (2) abriu espaço para uma recuperação dos ativos brasileiros, em especial o real, com o dólar fechando em queda de 0,86%, cotado a R$ 5,1653. Já a Bolsa brasileira (B3) fechou com ganho de 0,59%, aos 122.515,74 pontos, embora ainda pairem sobre o mercado temores de deterioração do quadro fiscal e recrudescimento de ruídos políticos, com a retomada dos trabalhos da CPI da Covid.

Depois de disparar na sexta-feira e fechar em alta 2,57%, acumulando valorização de 4,76% em julho, o dólar à vista trabalhou em queda durante todo o dia e chegou a tocar na casa de R$ 5,11 no início da tarde, ao descer até mínima de R$ 5,1147, em meio à realização de lucros e ajustes de posições.

O Ibovespa iniciou agosto em leve recuperação após ter amargado na sexta-feira perda de 3%, a maior desde março. A desaceleração de Nova York à tarde – ao fim, sem direção única, com Dow Jones e S&P 500 no vermelho – acomodou o índice da B3 abaixo dos 123 mil pontos nessa segunda. No ano, o índice acumula ganho de 2,94%, vindo de perda de 3,94% em julho, a primeira desde fevereiro.