As manifestações pró-Governo Bolsonaro marcadas para este Sete de Setembro, estimuladas pelo próprio presidente da República, Jair Bolsonaro, terão adesão de grupos de Cascavel. A concentração será na frente da Prefeitura de Cascavel, a partir das 15h desta terça-feira (7).

De acordo com Paulo Roberto Calderari, presidente do Movimento Direita Paraná Cascavel, um dos organizadores do evento, os protestos serão pacíficos: “Não teremos muito discurso político, apenas faixas e cartazes reivindicando que cada Poder fique dentro do seu quadrado. O STF que julgue, o Executivo que execute e o Legislativo que faça leis. Além disso, outra pauta nossa é o voto auditável. Queremos o voto auditável”, lista.

Segundo ele, a expectativa é reunir entre 1.500 a 2.000 pessoas na manifestação. Grupos de Cascavel também foram a Brasília e a São Paulo, para acompanhar a manifestação nas capitais.

De acordo com o presidente do Sindicato Rural de Cascavel, Paulo Orso, o sindicato está engajado no movimento e sugere aos produtores aderirem à manifestação: “É um momento de demonstrar esse civismo. Seja patriota e venha para a rua comemorar a independência do Brasil. Traga a bandeira do Brasil, defenda a pátria e tenha princípios cívicos como nós tínhamos.”

Já os grupos progressistas informaram que não farão atos para evitar possíveis conflitos. Segundo a vereadora Professora Liliam (PT), a deliberação foi difícil. “Apesar de ser uma decisão difícil, pois parte da militância quer fazer movimento, a gente tem mantido a deliberação de não fazer atos no dia 7. Pode ter alguma ação ou outra de algum movimento, de algum sindicato, mas não tão ligados às grandes frentes”.

 

Caminhoneiros não param

A categoria de caminhoneiros está dividida em relação à adesão aos protestos bolsonaristas do feriado. Em várias partes do Brasil, movimentos informaram que farão paralisações, contudo, na região oeste, não há previsão de greve nem manifestações de motoristas.

A Associavel (Associação de Motoristas Autônomos de Cascavel e Região) informou que os motoristas ligados à entidade não receberam tipo de recomendação da CNTA (Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos) para aderirem a movimentos e que, por conta disso, não devem parar.

Já o Sintropar (Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas e Logística Oeste) informou que uma reunião foi realizada para deliberar sobre o assunto e o sindicato optou por não se manifestar para recomendar ou não algum tipo de movimento.

 

Igrejas evangélicas

Embora algumas igrejas evangélicas estejam orientando os fiéis a irem para a rua neste Sete de Setembro, o pastor Gilvano de Souza, presidente da Opevel (Ordem dos Pastores Evangélicos de Cascavel), informou que a ordem não está organizando movimentação alguma. “Não vamos fazer algo específico. Nós, como Ordem dos Pastores, não estamos à frente de nenhuma manifestação. A gente tem visto algum envolvimento [de igrejas], algumas pessoas entraram em contato com a gente, mas não é organização da Ordem dos Pastores de Cascavel. Nós deixamos os pastores bem na liberdade para essas decisões”, afirma.

 

Justiça proíbe bloqueios nos trilhos

A Justiça Federal proibiu o bloqueio das intersecções das estradas do Paraná com a malha ferroviária em decorrência das manifestações previstas para esta terça-feira (7), feriado alusivo ao Dia da Independência do Brasil. A decisão é do juiz federal Friedmann Anderson Wendpap, da 1ª Vara Federal de Curitiba, determinando que manifestantes se abstenham de causar tumulto, depredação, bloqueio ou ocupação dos bens envolvidos na execução do serviço concedido à empresa Rumo.

A ação proibitória foi ajuizada pela Rumo Malha Oeste S/A, Brado Logística S/A e Rumo Malha Sul S/A, em face aos participantes que venham bloquear ou danificar os trechos das rodovias sob sua concessão. Os interditos proibitórios visam impedir que os réus pratiquem atos de turbação ou esbulho sobre toda a área ferroviária da concessionária de ferrovias.

Em sua decisão, o magistrado observa que, “embora o local das manifestações seja as rodovias, o pedido nos autos é de manutenção do tráfego das ferrovias. Ainda que as rodovias sejam local adequado para a realização de manifestação políticas das mais diversas naturezas, não me parece que o bloqueio das intersecções com os trilhos do trem seja essencial para o exercício do direito de manifestação. É plenamente possível que manifestantes exerçam o direito democrático à manifestação sem que haja o bloqueio das intersecções”.

 

Ato em frente ao Paço

Apesar de não haver o tradicional desfile cívico-militar-escolar de Sete de Setembro, Toledo não ficará indiferente às festividades pelo 199º aniversário da Independência do Brasil. Nesta terça-feira, a partir das 8h, várias autoridades foram convidadas a prestigiar o ato solene que será realizado em frente ao Paço Municipal Alcides Donin.

Repleta de simbolismos e cuidados sanitários, a solenidade contará com hasteamento das bandeiras do Brasil, do Paraná e de Toledo com a execução dos hinos da Independência e o Nacional, o qual será interpretado pela cantora Ivanete Rodrigues.

Os atos alusivos ao 199º aniversário da Independência do Brasil tiveram início na última quarta-feira (1º). Desde então, em todos os dias, sempre às 8h, em frente ao Paço, dezenas de pessoas se reuniram para um momento de civismo e patriotismo. Esses atos também foram repetidos em várias escolas, que desenvolveram atividades internas exclusivas para alunos, colaboradores e integrantes da equipe pedagógica das instituições.

Cascavel e Foz do Iguaçu também não farão desfile nesta terça-feira.