Braganey – Com 5.338 habitantes, a pequena cidade de Braganey não perde nenhum morador em decorrência de complicações da covid-19 há 141 dias. Em Santa Lúcia, a marca é de 93 dias, em Catanduvas, 80, e, em Pato Bragado, 61 dias. Essas quatro cidades constam entre as 46 do Paraná (11,5% do Estado) que não registram mortes dessa natureza há mais de 60 dias.

Dos 50 municípios do oeste, exatamente a metade deles não tem registro de óbito há mais de 20 dias, e esse total sobe para 27 cidades (54%), quando considerados 15 dias ou mais.

Segundo o relatório da Sesa (Secretaria da Saúde) divulgado ontem, 131 municípios paranaenses não registraram óbitos em decorrência da doença durante todo o mês de agosto. Desses, 23 estão há mais de 90 dias sem mortes.

E o número de novos casos foi o menor desde novembro do ano passado. Em agosto, o Estado confirmou 53.647 infectados, número que não baixava desde outubro de 2020, quando 38.305 casos foram notificados.

Para o secretário estadual da Saúde, Beto Preto, a queda nos indicadores demonstra a efetividade das vacinas: “Não há dúvidas de que a vacinação é segura e eficaz. Vínhamos de uma média de, pelo menos, 2 mil óbitos por mês este ano e agora, com o avanço da vacinação, reduzimos o número pela metade”, disse.

Em agosto, o Paraná aplicou mais vacinas contra a doença de toda a campanha de imunização, iniciada em janeiro. Ao todo, foram 2.637.551 doses, sendo 1.622.246 primeiras aplicações (D1) ou doses únicas (DU) e 1.015.305 segundas doses (D2).

O último mês correspondeu a 33,1% do total de segundas doses aplicadas no Estado até agora. Foi o mês com mais aplicações do complemento do esquema vacinal. As informações são do Vacinômetro Nacional.

 

Taxa de transmissão

Esta semana, o Paraná estava com 0,88 de taxa de transmissão da covid-19, o que significa que cada 100 pessoas contaminadas pelo vírus Sars-CoV-2 transmitem, em média, para 88 pessoas. Os números são bem diferentes dos registrados em 25 de junho, quando o Paraná atingiu um Rt de 1,48.

Os dados são do sistema Loft.Science. Segundo a plataforma, “um Rt de 3-4 infectará toda a população, enquanto um Rt de 1,5 pode alcançar 60% da população. Somente se o Rt for menor que 1 a epidemia diminuirá de tamanho até ser eliminada”.

 

Municípios que estão há mais tempo sem mortes

  • Município   Dias sem morte
  • Guaporema 253
  • São Pedro do Paraná      217
  • Rancho Alegre     190
  • Paranapoema        168
  • Pinhal de São Bento      148
  • Braganey     141
  • Maria Helena        139
  • Porto Vitória        134
  • Corumbataí do Sul        125
  • Jardim Olinda      123
  • Francisco Alves    120
  • Mato Rico   118
  • Itaguajé       117
  • Uniflor        116
  • Paulo Frontin       106
  • Santo Antônio do Paraíso       105
  • São Manoel do Paraná   105
  • Jussara        99
  • Cruzeiro do Sul    97
  • São Sebastião da Amoreira      96
  • Municípios do oeste:
  • Município   Dias sem morte
  • Braganey     141
  • Santa Lúcia          93
  • Catanduvas          80
  • Pato Bragado        61
  • Tupãssi       55
  • Itaipulândia          54
  • Iracema do Oeste 53
  • Jesuítas       53
  • São José das Palmeiras   51
  • Serranópolis do Iguaçu 50
  • Maripá        48
  • Entre Rios do Oeste       43
  • Campo Bonito     40
  • Céu Azul    37
  • Capitão L. Marques       36
  • São Pedro do Iguaçu      36
  • Ibema         34
  • Boa Vista da Aparecida  32
  • Lindoeste    29
  • Quatro Pontes      29
  • Santa Tereza do Oeste    28
  • Guaraniaçu 25
  • Nova Santa Rosa 22
  • Ramilândia 22
  • Matelândia 20
  • Missal         18
  • Santa T. de Itaipu          18
  • Diamante d’Oeste 14
  • Formosa do Oeste          13
  • Santa Helena        13
  • Ouro Verde do Oeste     11
  • São Miguel do Iguaçu    10
  • Guaíra         8
  • Terra Roxa 7
  • Vera Cruz do Oeste        7
  • Corbélia      6
  • Assis Chateaubriand      3
  • Medianeira 3
  • Mercedes    3
  • Cafelândia   2
  • Anahy         0
  • Cascavel     0
  • Diamante do Sul 0
  • Foz do Iguaçu      0
  • Iguatu         0
  • Marechal C.Rondon      0
  • Nova Aurora        0
  • Palotina      0
  • Toledo        0
  • Três Barras do Paraná    0

 

Idosos voltam a ser maioria de atendidos com covid no oeste

Cascavel – Levantamento do Consamu Oeste aponta que pessoas com mais de 60 anos de idade voltaram a ser maioria entre as atendidas pelo consórcio com sintomas de covid-19. Os dados são referentes a julho e agosto e traduzem uma tendência de consistente alta desse público-alvo.

Os números mostram que, das 772 ocorrências de covid-19 registradas em julho, 295 foram de pessoas acima dos 60 anos; 231 com idade entre 46 e 60 anos; 160 com idade entre 31 e 45 anos; 63 com idade entre 16 e 30 anos e 25 abaixo dos 15 anos.

Em agosto, o registro de pessoas acima dos 60 anos cresceu ainda mais: 332. Entre 46 anos e 60 anos, 179; entre 31 anos e 45 anos, 136; entre 16 anos e 30 anos, 85; e abaixo dos 15 anos, 33. A estatística aponta ainda estabilidade no número de ocorrências covid-19, após queda verificada entre junho e julho.

De acordo com Rodrigo Nicácio, diretor médico do Samu Regional, o aumento no número de idosos acometidos de covid-19 e a diminuição nos registros envolvendo o público mais jovem é decorrente de uma preocupante mudança no cenário da doença: a queda na imunidade daqueles de idade mais avançada. “Tal perspectiva fortalece a tese de imunização da terceira dose, tendência esta que já vem se tornando realidade em outros países. Os números mostram que as pessoas que tomaram a segunda dose há mais de seis meses estão retroagindo em sua capacidade imunológica, o que demanda uma dose extra para que a capacidade do organismo superar os efeitos do vírus retome aos patamares anteriores”, indica o médico.

No Brasil, o Ministério da Saúde informou que a aplicação da terceira dose começará dia 15 de setembro pelo público com mais de 70 anos e pessoas com comorbidades.