Toledo nos últimos dias tem apresentado uma oscilação na matriz de risco utilizada pelo COE (Centro de Operações Emergenciais) para analisar a situação epidemiológica da cidade. Os relatórios apresentados essa semana dão conta de uma aparente melhora. O município saiu do alerta Vermelho e voltou para o Laranja.

Para entender como houve essa transição é preciso acompanhar o raciocínio apresentado pelos profissionais de saúde que acompanham a evolução da pandemia do novo coronavírus no Município.

Segundo o Médico e Porta Voz do COE, Fernando Pedrotti, quando se olha a matriz de risco e analisamos a semana epidemiológica 37, de 5 a 12 de setembro e comparamos com a semana 36, que é a semana anterior, no final de agosto, observamos uma diminuição na pontuação. Essa diminuição ocorreu na variação do número de óbitos por SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave) nos últimos 14 dias.

A avaliação é sempre da semana atual com duas semanas antes. Tínhamos a situação de apresentar dois óbitos na semana 35 e evoluir para 6 o número de óbitos na semana 36. Com esse acréscimo, a pontuação neste indicador foi de 8 pontos. Considerando o somatório com os demais itens analisados naquela semana, Toledo alcançou 20 pontos e acendeu o alerta para a Bandeira Vermelha.

Acontece que são pelo menos seis indicadores a serem analisados: Taxa de ocupação de leitos UTI (Unidade de Terapia Intensiva) adulto por SRAG; Taxa de ocupação de leitos de enfermaria adulto por SRAG; Previsão de esgotamento de leitos de UTI; Variação do número de casos de SRAG nos últimos 14 dias; e Taxa de positividade para covid-19.

Na semana passada (37) houve uma diminuição no número de óbitos e o mesmo indicador que nos colocou no alerta vermelho baixou de 8 para 2 pontos. Como não houve variação nos demais cenários avaliados a pontuação na matriz de risco caiu de 20 para 14 pontos, colocando Toledo na Bandeira Laranja.

“Por um lado é bastante interessante e bom. Por outro lado, não podemos encarar como uma melhora, pois a comparação sempre se dá com duas semanas anteriores. Semana passada foi quando identificamos o maior número de novos casos de Covid-19 desde o início da pandemia. Foram 416 casos identificados e confirmados. O vírus circula fortemente em nossa cidade. A população precisa manter os devidos cuidados. A melhora só existiu porque quando comparado há duas semanas não teve acréscimo no número de óbitos como tínhamos registrado anteriormente”, alerta Pedrotti.