Pessoas em situação de rua encontraram oportunidade de apreender uma profissão pelo projeto Construa Cidadão da prefeitura de Cascavel que neste dia 1º de maio completa um ano.

Ao longo desse período, 40 beneficiários fizeram parte dessa iniciativa. Mais do que retirar pessoas da rua, o programa mostra a elas que é possível recomeçar e ter uma nova vida.

“Quando você está na droga e na situação que já estive, você precisa de alguém para te ajudar. Sozinho a gente não consegue”, relata Claudia Alves, beneficiária do Construa Cidadão.

O critério principal para receber essa ajuda, é estar acolhido na Casa POP, que inclusive aumentou a capacidade de atendimento aos moradores de rua.

“Eles recebem a atenção necessária e encaminhamos os acolhidos para oportunidades de trabalho em diversos setores do município, conforme o perfil de cada um”, explica o secretário de Assistência Social, Hudson Moreschi Junior ao citar que há beneficiários que prestam serviços na prefeitura, na Cettrans (Companhia de Engenharia de Transporte e Trânsito) e Agência do Trabalhador, por exemplo.

Bolsa-auxílio

Durante o acolhimento e participação no programa, os inscritos recebem uma bolsaauxílio. “O repasse mensal é de R$ 300. Em média o beneficiário é atendido no prazo de seis meses, mas isso pode variar. Nosso objetivo é qualificá-los e dar a dignidade diante da rotina de trabalho”, ressalta o secretário.

“Graças a Deus hoje estou dentro da minha casa e tenho meus móveis. Até hoje trabalho e estou bem feliz com meu serviço”, compartilha a beneficiária Claudia.

Luz no fim do túnel

Pedreiro de mão cheia, como contam os colegas, Eliezer Rosa Dionato, de 44 anos, vê o ConstRua como "uma luz no fim do túnel" e que lhe trouxe de volta de uma escuridão à qual ele se lançou após a separação. "Passe a beber, dei uma quebrada na vida e fui para rua. Eles me trouxeram de volta e aqui (Casa POP) encontrei esperança de recomeço". Há três meses e meio acolhido, atua há dois pelo ConstRua. Construiu os novos banheiros da Casa Pop e já está buscando vaga no mercado de trabalho. "Quero superar logo isso e voltar para uma vida normal".

Para a Catarina Andretta, de 54 anos, que é de Ampere, o ConstRuatambém é porta que está levando a um recomeço. Ela mora em Cascavel há dois anos, um dos quais viveu em situação de rua, depois de ter trabalhado um longo tempo como operadora de caixa em Curitiba, de onde estava voltando com as economias e tudo o que tinha na mala que foi perdida. "Encontrei no ConstRua uma nova perspectiva de vida, pois nesta idade, dificilmente contratam. Estou recomeçando do zero".

Foto: Secom

Legenda: ConstRua tem levado dignidade a moradores de rua

Box

Ações para mudar vidas

"O grande desafio dos gestores públicos é construir ações que mudem a vida das pessoas. É dar oportunidades, é enxergar essas pessoas e reinseri-las na sociedade. Este é o nosso grande desafio. Este é o nosso ConstRua Cidadão", avalia o prefeito Leonaldo Paranhos ao falar do programa, sintetizando que "uma cidade humana estende o olhar para todos".

E como todos têm suas particularidades e potencialidades, é assim que ConstRua atua, respeitando essas características, como detalha a coordenadora da Casa POP, Ana LauraEgewarth. "Trabalhamos com espaços pertencentes, aptidões, para que eles sigam para os trabalhos de forma que possam dar o melhor de si. Além disso, estão recebendo formação por meio do Paraná Alfabetizado três vezes por semana aqui mesmo na Casa POP, de forma a ampliar oportunidades".