Congresso internacional reúne cerca de 2 mil participantes

Foram dois dias intensos de palestras, mesa-redonda e exposição de trabalhos científicos

Mesa-redonda com a professora austríaca Monika Schmoll foi um dos eventos que abriram o 4º Congresso Internacional de Ciência, Tecnologia e Inovação / 18º Encontro Anual de Iniciação Científica da Universidade Paranaense, realizado no último mês, em Umuarama, com cerca de 2 mil participantes, envolvendo pesquisadores da Sede e de outras unidades da Unipar.

Schmoll, que é pesquisadora do Austrian Institute of Technology, falou sobre reaproveitamento de resíduos agroindustriais, trazendo estratégias biotecnológicas para obtenção de enzimas fúngicas com diversas aplicações.

A abertura solene contou com a presença do reitor da Unipar, Carlos Eduardo Garcia. Teve palestra sobre inteligência artificial e momentos de confraternização entre os convidados.

Para os debates, a Unipar recebeu congressistas internacionais também dos Estados Unidos, do Canadá, de Portugal e da Argentina, e muitos outros de grandes universidades brasileiras. Pesquisadores da Unipar, dos programas de mestrado e doutorado, também fizeram parte dos grupos de palestrantes.

Seguindo o eixo temático “Educação, desenvolvimento sustentável e ética”, a programação incluiu ainda mostra de trabalhos científicos [de forma oral e em painéis], palestras, oficinas, feira de empresas e outras atividades voltadas à difusão do conhecimento científico. Praça de alimentação com food trucks no pátio do câmpus foi novidade.

“Abuso de drogas e neuromodulação: da neurociência básica à prática clínica” foi tema da segunda mesa-redonda.

O evento teve mais duas mesas-redondas, que abordaram “Vigilância integrada em regiões fronteiriças” e “Liberdades e limites para a convivência social: direito, democracia e responsabilidade”. E também tiveram as exposições de trabalhos.

O foco principal do congresso é proporcionar ao universitário a oportunidade de apresentar estudos científicos que desenvolvem na graduação e na pós-graduação.

Integrar pesquisadores discentes e docentes das diferentes áreas do conhecimento é outro objetivo do evento, organizado pela DEGPP (Diretoria Executiva de Gestão da Pesquisa e da Pós-graduação) da Unipar.

Internacionalização

Segundo a diretora, a professora doutora Evellyn Wietzikoski, a Unipar investe no evento para reforçar sua política de internacionalização. “Esse intercâmbio de conhecimento e essa interação de pesquisadores demonstram o quanto levamos a sério a produção do saber e sua difusão. Alguém pode dizer que se trata de um evento ousado para uma cidade de interior, mas provamos que é possível quando se quer”.

Para ela, o congresso, mais uma vez bem-sucedido, reafirma o potencial da Unipar no protagonismo da ciência. “Pela grandiosidade e pela diversidade dos temas abordados, nosso congresso já se tornou um evento referência no Paraná, sendo elogiado e recomendado por instituições de peso”, orgulha-se.

Professora e aluna de Estética representam curso


Fale com a Redação

3 × cinco =