O Brasil conquistou 21 medalhas na Olimpíada de Tóquio 2020. Dessas, sete foram ouro.

Os jogos,  que foram adiados ano passado em virtude da pandemia do coronavírus e estiveram sob o risco de serem cancelados,  chegam ao fim neste domingo (8).

As duas últimas medalhas brasileiras foram prata, ambas obtidas nessã madrugada.

A seleção brasileira feminina de vôlei nos Jogos de Tóquio é a vice-campeã olímpica.

Neste domingo, o time não foi páreo para os Estados Unidos na decisão na Ariake Arena e perdeu por 3 sets a 0 (parciais 25/21, 25/20 e 25/14).

Foi a primeira medalha de prata do vôlei feminino brasileiro. Antes, o Brasil havia conquistado dois bronzes em Atlanta-1996 e Sydney-2000 e dois ouros em Pequim-2008 e Londres-2012.

A pugilista Beatriz Ferreira ficou com a medalha de prata na Olimpíada de Tóquio, ao perder, neste domingo, a final da categoria dos pesos leves (até 60 kg) para a irlandesa Kellie Harrington, em decisão unânime dos cinco jurados: 29 a 28 para três deles e 30 a 27 para dois.

Além da prata conquistada por Bia, o boxe brasileiro soma mais sete medalhas em olimpíadas. Servílio de Oliveira foi bronze no México-1968, depois Esquiva Falcão, Yamaguchi Falcão e Adriana Araújo subiram no pódio em Londres-2012. Robson Conceição foi campeão na Rio-2016, enquanto Abner Teixeira ficou com o bronze entre os pesados e Hebert Conceição foi ouro em Tóquio.

Aos 28 anos, Beatriz Ferreira soma os títulos sul-americano, pan-americano e mundial. Em Tóquio, se tornou a primeira boxeadora sul-americana a alcançar a final olímpica. O boxe feminino passou a ser disputado em Londres-2012.

Após o anúncio da vencedora da final, ainda no ringue, Bia Ferreira se dirigiu às câmeras e pediu desculpas pela derrota: “Desculpa pai, desculpa Brasil”.